16 de setembro de 2021 às 12h20m
Argentina: cinco ministros de Fernández pedem demissão

Cinco ministros do governo do presidente argentino, Alberto Fernández, colocaram seus cargos à disposição nesta quarta-feira (15).

As renúncias, que foram acompanhadas de pedidos de demissão de outras autoridades, se dão três dias depois de a frente governista ser derrotada nas primárias para o pleito legislativo de 14 de novembro. O ministro do Interior, Wado de Pedro, foi o primeiro a entregar o cargo. Ele foi seguido pelos titulares das pastas da Justiça, Martín Soria; da Ciência e Tecnologia, Roberto Salvarezza; do Meio Ambiente, Juan Cabandié; e da Cultura, Tristán Bauer.

Os nomes fazem parte da ala kirchnerista, mais à esquerda, da coalizão que apoia o governo de Fernández. O grupo, que também tem laços com o filho de Kirchner, o deputado Máximo, já vinha manifestando descontentamento com a gestão e pressionando por uma reforma ministerial. “Ouvindo suas palavras na noite de domingo [12], quando levantou a necessidade de interpretar o veredito expresso pelo povo argentino, considerei que a melhor forma de colaborar com essa tarefa é colocando minha demissão à sua disposição”, escreveu De Pedro na carta que apresentou a Fernández.

Desempenho
Ele fez referência a falas do mandatário reconhecendo o mau desempenho de seus candidatos nas primárias. A Frente de Todos, aliança peronista, obteve 31% dos votos em todo o país e ficou atrás da principal força de oposição, a coalizão de centro-direita Juntos (ligada ao ex-presidente Mauricio Macri), que alcançou 40,02% em nível nacional. “Fizemos algo errado e precisamos entender o que foi”, disse Fernández na segunda-feira. “O rumo tomado em 2019 [quando ele assumiu a Presidência] não vai ser alterado. Existem razões pelas quais as pessoas não nos acompanharam nesta votação, e nós agora vamos escutá-las melhor.”


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001