21 de junho de 2021 às 18h55m
Escola da zona rural desenvolve projeto sobre memórias cedrenses

O projeto memórias vivas: 100 anos em Cedro, busca conhecer as histórias que construídas no município

Os alunos da Escola Leandro Alves Correia, localizada na comunidade de Agrovila, sede do distrito Vale do São Miguel. A ação faz parte de estratégias como ferramentas adotadas durante à pandemia da Covid-19, com os estudantes do 6º ao 9º ano. 

 

Em um recorte sobre o projeto, é possível realizar um passeio com a memória de seus moradores, na fala da moradora mais antiga, nas andanças do carroceiro, na lembrança do agricultor, ou na simples lembrança de uma criança. "É possível conhecer cada vez mais a nossa história sob o olhar dos nossos estudantes e quero parabenizar aos envolvidos por este momento tão importante", pontua o prefeito Joãozinho de titico. 

 

A professora Ionete Andrade, ressalta que o projeto se busca conhecer as histórias individuais, vividas pelos homens e mulheres, situações únicas, vividas e contadas de uma perspectiva pessoal. "É possível fazê-lo de diversas maneiras, estimulando percorrer a história tracejado de mapas, depoimentos e fotos antigas", pontua 

 

Na justificativa do projeto desenvolvido pela professora de Língua Portuguesa, O projeto possibilita uma reflexão sobre a trajetória das memórias, reconstruindo fatos e acontecimentos, resinificando e inserindo-a na história coletiva no tempo e espaço das culturas, resgatando a memória social pelo olhar de cada um. 

 

O projeto iniciou neste mês e será desenvolvido até dezembro e para a conclusão será criado e-book interativo construído sobre a tradicional festa do chitão, paróquia São João Batista, Igrejas evangélicas, Exposição de Ovino e Caprino (EXPOCEDRO), açude Ubaldinho e a história da cidade e seus marcos históricos. "As pesquisas serão gravadas, filmadas, escritas e assim os alunos terão a oportunidade de serem protagonistas nos relatos das histórias e memórias da cidade que residem, propiciando vivências para seu conhecimento educacional e pessoal", explica a professora de Língua Portuguesa Hélis Cristina. 

 

Os registros diários sobre o andamento do projeto podem ser conferidos no perfil da escola: https://www.facebook.com/leandro.alvescorreia


Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001