13 de agosto de 2010 às 08h04m
Artesanato valoriza turismo

Organizados e capacitados pelo Sebrae no Ceará, Piauí e Maranhão, artesãos da Rota das Emoções vêm fazendo bonito no Brasil e mundo afora

 

Clique para Ampliar

A integração do turismo com o artesanato, ação do Sebrae na Rota das Emoções, está mudando a vida dos artesãos
 

Clique para Ampliar

A integração do turismo com o artesanato, ação do Sebrae na Rota das Emoções, está mudando a vida dos artesãos
 

Quase todo mundo que viaja gosta de levar uma lembrança, um item do artesanato local para presentear ou enfeitar a casa com algo que marque a visita àquele lugar. Para quem se aventura pela Rota das Emoções - Jeri-Delta-Lençóis, o melhor roteiro do Brasil, premiado pelo Ministério do Turismo -, o artesanato é uma viagem dentro da outra. Graças ao trabalho de organização que o Sebrae vem realizando nas associações de artesãos dos municípios que integram a Rota, o visitante pode levar de cada lugar não apenas simples lembrancinhas, mas exemplares da arte e da cultura nordestinas que hoje representam o Brasil em grandes eventos de mostra e comercialização de arte regional do mundo.

Uma das mais recentes ações do Sebrae nos três Estados que integram o roteiro foi o Seminário de Integração do Artesanato da Rota das Emoções, com o objetivo de mostrar a importância da integração do turismo com o artesanato por meio de uma viagem de conhecimento pela Rota. Foi assim que, pela primeira vez, os artesãos puderam conhecer o trabalho e a realidade de seus colegas de outros Estados. Um exemplo do efeito dessa ação se deu com Raimundo Nonato Alves, da Associação de Artesanato Nova Vida - Arte Vida, de Luís Correia (PI), que ficou encantado ao ver peças feitas por ele em vitrines de lojinhas de artesanato em Jericoacoara (CE).

Além de auxiliar na integração do turismo com o artesanato, o Sebrae atua na orientação para a valorização da cultura local e no estímulo a projetos sociais e ambientais. Tudo isso por meio de ações voltadas à organização das entidades, ao aumento na renda e ao repasse do ofício para as futuras gerações. Com apoio de consultores e instrutores, centenas de artesãos vêm aprendendo as regras básicas de mercado, como a padronização, prazo de entrega, preço razoável (mas que garanta o retorno do que foi investido) e ainda noções de marketing social e ecológico do produto.

Reconhecimento

E os resultados não tardaram a aparecer. A Associação das Crocheteiras Mundo Jeri (CE) recebeu do Ministério do Turismo (2009) o troféu Roteiro do Brasil na categoria Sustentabilidade Sócio-Cultural. Deve ser inaugurado, ainda neste mês, o novo espaço da entidade, com loja e área para desenvolver as ações do projeto de inclusão e valorização cultural iniciado em 2008, com apoio do Sebrae/CE, Prefeitura de Jericoacoara e Ministério do Turismo. "Eu vejo uma melhora de 100% desde que começamos a parceria com o Sebrae. Trabalhando sozinhas éramos vistas somente como ambulantes. Agora, em grupo, temos o respeito das pessoas. Nosso trabalho é reconhecido", diz a presidente da Associação, Maria Diana de Souza.

Em Parnaíba (PI), os integrantes da Associação de Artesãos em Trançado da Ilha Grande trabalham com a palha da carnaúba. Extraída com o cuidado de não agredir a natureza e garantir matéria-prima para as futuras gerações, a palha é trançada para dar forma a porta-talheres, cestos e pratos decorativos. Em parceria com o Sebrae/PI, Prefeitura de Parnaíba e Caixa Econômica Federal, a Associação está entre as 100 unidades de produção de artesanato brasileiro e uma das nove daquele Estado premiadas pelo Prêmio Top 100 de Artesanato, o que garante exposição e comércio de seus produtos no exterior.

E o pessoal da Associação de Luís Correia, da qual o seu Raimundo Nonato faz parte, depois de receber consultoria em design, ampliou o negócio e hoje tem peças vendidas em São Paulo, Londrina, Teresina, Parnaíba e Fortaleza. Eles transformam a fibra da taboa, planta comum nas lagoas da região, em tapetes, cestos, cadeiras, almofadas e pufes.

Da zona rural direto para o mundo fashion. Esta tem sido a rota de emoções das artesãs de Barreirinhas (MA), onde a principal matéria-prima é a fibra das folhas do buriti, palmeira nativa. A Cooperativa dos Artesãos dos Lençóis Maranhenses (Artecoop), que produz chapéus, bolsas e sandálias, entre outras peças, foi destaque do Programa Talentos do Brasil na Fashion Business, salão de negócios de moda e design paralelo à Fashion Rio.

O Talentos do Brasil é um projeto do Ministério do Desenvolvimento Agrário que estimula a troca de conhecimentos, valorizando a identidade cultural de mulheres agricultoras manufatureiras, promovendo a geração de empregos e agregando valor aos seus trabalhos por meio da moda.

 


Fonte: Diario on line

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001