13 de dezembro de 2009 às 11h50m
Fiat Palio Adventure Locker Dualogic

Perua ganha câmbio automatizado para manter a liderança do segmento. Transmissão da Fiat foi melhorada após a chegada do sistema da Volks.

 

 

Ampliar Foto Foto: Milene Rios/G1

O Palio Adventure é pioneiro da ‘moda’ dos carros aventureiros leves no país. A receita foi copiada pelos concorrentes, como o Peugeot Escapade e até por alguns hatches, como o CrossFox, Fiesta Trail e Sandero Stepway. Mesmo assim, a perua da Fiat mantém, com folga, a liderança entre as station wagon formado também por Volkswagen SpaceFox. São 39.273 unidades vendidas até novembro deste ano, o que representa 46,87% do mercado, contra 29.032 unidades da perua da Volks e 7.717 unidades do modelo francês.

Para garantir essa diferença, a Adventure é a única do segmento que conta com sistema de bloqueio de diferencial na dianteira, o Locker, e recentemente passou a ser oferecida com o câmbio automatizado, chamado de Dualogic pela Fiat, que recebeu melhorias após o lançamento do sistema automatizado da arquirival Volkswagen, o ASG. O G1 testou a perua Locker Dualogic que é vendida a partir de R$ 54.430. 

 

Foto: Editoria de Arte/G1

Palio Adventure Locker ganhou câmbio automatizado (Foto: Editoria de Arte/G1)

Primeiro, a novidade. O câmbio automatizado Dualogic passou por melhorias antes de equipar a perua e está mais suave nas trocas de marchas. Segundo a Fiat foi feito uma nova calibragem no software do sistema que é reponsável por ordenar as trocas. Mas apesar da melhora, a transmissão automatizada da Fiat ainda é mais 'grosseira' do que o sistema da Volks que teve as relações das marchas encurtadas para diminuir os solavancos durante a mudança de velocidade. Mas a perua se apoia em outros atributos.

A roupa off-road do modelo agrada, mesmo com a quantidade excessiva de peças plásticas que compõem a carroceria. Sem dúvida, entre os concorrentes, a Palio Adventure Locker é a mais radical. A grade dianteira é cromada, os retrovisores externos trazem indicadores de direção incorporados, os para-lamas são mais recortados e o para-choque dianteiro tem uma espécie de "quebra-mato" integrado, que abriga os faróis de neblina e de milha.

Para as trilhas, o carro vem equipado com barras estilizadas no teto, pneus de uso misto (50% para terra e 50% para o asfalto) que calçam rodas de 15 polegadas. No entanto, ao contrário das outras versões aventureiras, o estepe da perua Palio fica embaixo do carro, o que dificultada a tarefa da troca, ainda mais se ela precisar ser feita em meio à lama.

 

Foto: Milene Rios/G1

Fiat Palio Adventure Locker (Foto: Milene Rios/G1)

Por falar em lama, não se engane pelo porte da perua. Ela está muito distante de ter um desempenho de um 4X4. Pequenos obstáculos como poças de água, trechos com lama e com cascalhos podem ser facilmente vencidos. Ao volante dá sempre impressão de que o carro pode ir além, mas lembre-se: trata-se de um veículo com tração dianteira. Se o motorista arriscar demais e perder a aderência das rodas, pode contar com o Locker que é acionado por meio do botão “ELD ON”, posicionado ao lado esquerdo do volante.

Em carros 4X2 o diferencial divide e distribui o torque entre as duas rodas, assim, a roda com menos aderência passa a girar rapidamente, enquanto a outra se mantém parada. O bloqueador de diferencial existe para eliminar esse efeito. Sem o diferencial, o torque se iguala entre os eixos e faz com que a roda com mais aderência gire e mova o veículo, neste caso, até que ele atinja 20 km/h, quando o sistema é desativado automaticamente.

Fiat Palio Adventure Locker (Foto: Milene Rios)

Na cabine, o modelo tem itens exclusivos da versão Adventure, como bancos revestidos em couro, bússola e clinômetros longitudinal e transversal sobre o painel, a inscrição da versão nas soleiras das portas e o quadro de instrumentos com fundo branco e grafismos exclusivos.

Apesar de acomodar bem três passageiros atrás, o banco traseiro não é bipartido de série, o que para um veículo com apelo familiar pode ser um problema. Outro detalhe que pode se tornar um incômodo são os pneus de uso misto na cidade. Por terem mais aderência do que os pneus somente para asfalto, o carro trepida bastante. Além disso, se utilizados na maior parte do tempo em ciclo urbano, aumentam o consumo de combustível e desgastam mais rápido.

 

Foto: Milene Rios/G1

Fiat Palio Adventure Locker (Foto: Milene Rios/G1)

Para compensar, a suspensão mais rígida e a boa altura em relação ao solo (19 cm) são modificações muito bem-vindas em ruas esburacadas. A altura também contribui para a posição de dirigir elevada que garante mais conforto e dá sensação de segurança para o motorista. O apoio de braço também é uma boa pedida para o dia a dia, apesar de dificultar o acesso ao comando de regulagem do encosto, que é manual.

Mas ser o veículo mais alto da família Adventure custou à perua o título também de menos estável. Principalmente em estradas, é possível sentir a inclinação exagerada da carroceria, que em curvas mais fechadas pode assustar os motoristas mais apressadinhos. Para quem gosta de acelerar, outro ponto negativo: a Adventure traz sob o capô o velho motor 1,8 litro fornecido pela GM, que não é nem econômico e muito menos bem disposto. O propulsor demora para atingir altas rotações e é beberrão. Durante o teste, na cidade, registramos 6,5 km/l de álcool.

 


Fonte: g1.com

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001