20 de outubro de 2009 às 14h30m
Um novo Astra chega em 2011

O substituto do Astra já está sendo vendido na China e chega ao Brasil em breve. O novo Astra terá o porte do Linea, do Polo Sedã e do novo Honda City.


O painel deverá ser semelhante aos dos novos modelos da Chevrolet, como o Captiva. Para competir em pé de igualdade com os rivais, trará um bom acabamento e equipamentos de série bastante interessantes
A Chevrolet vive atualmente às vésperas do lançamento do Agile, um hatch que será apresentado para a imprensa nesta segunda-feira na Argentina como modelo 2010 e que inaugurará uma nova família, composta ainda por uma versão picape e um jipinho urbano. Essa estratégia está clara e já é de conhecimento público. Mas a dúvida do mercado ficou em torno do sedã que vai herdar o tremendo sucesso que o Astra continua fazendo. Embora seja líder de vendas em seu segmento, ele já é visto como obsoleto diante dos concorrentes, apesar das reestilizações e renovações mecânicas pelas quais passou nesses 11 anos de mercado.

Lançado aqui em setembro de 1998, mantém sua liderança à custa de grandes volumes de vendas para empresas e taxistas, promoções de vendas, pacotes de equipamentos e preços muito competitivos. Mas a neblina que pairava sobre o futuro do Astra já está sendo dissipada.

Ao contrário do que muitos imaginavam, a novidade não será simplesmente o sedã do Agile. Será um projeto distinto da nova família, com plataforma própria e design exclusivo. Com porte mais avantajado que o da família Agile, o novo Astra terá um projeto totalmente novo e semelhanças dimensionais de seus principais concorrentes. Fontes seguras e confiáveis de dentro da Chevrolet afirmaram categoricamente que para desenvolvermos o tal segredo deveríamos olhar diretamente para o mercado chinês. Seria de lá que sairiam as respostas para a solução do enigma.

E não foi preciso pesquisar muito: a Chevrolet chinesa lançou no primeiro semestre em seu mercado o novo Lova, uma versão oriental do Aveo, um sedã do porte de Polo Sedã, Linea, Honda City e novo Fiesta Sedan, destinado aos mercados emergentes. Pois bem, esse é o ponto de partida para o novo Astra. A plataforma será diferente daquela utilizada pelo nosso Agile, nesse caso uma base criada aqui, especialmente para a novidade.

Na China
O novo Astra utilizará a plataforma do Lova chinês, que foi desenvolvida na Coreia, chamada de GammaII, uma evolução da GammaI utilizada pelo atual Corsa e usada como ponto de partida para a plataforma do Agile. Apesar da configuração parecida, com suspensões MacPherson na dianteira e no eixo de torção na traseira e posicionamento semelhante do sistema de direção, a GammaII é moderna até mesmo para os padrões atuais, reunindo flexibilidade construtiva, resistência mecânica, silêncio ao rodar, estabilidade direcional e melhor posicionamento das rodas no trabalho das suspensões, melhorando a aderência em curvas.

A carroceria foi redesenhada aqui. A ideia da marca é partir da carroceria chinesa e criar detalhes, como faróis, por exemplo, que atraíam mais a atenção do consumidor de cada parte do planeta em que o modelo será comercializado.

A equipe comandada por Carlos Barba, chefe do design da Chevrolet brasileira, já está na fase final do trabalho. Mas a versão nacional não será muito diferente da lançada na China neste ano (e que ilustra esta reportagem) - até por economia de projeto e ferramental dos componentes.

No conjunto motopropulsor, inicialmente, haverá disponibilidade do motor 1.4 flex e da nova versão (em fase final de desenvolvimento) do 1.8 flex, que desenvolve cerca de 130 cv com álcool, com economia de combustível, lembrando que no consumo está a grande crítica ao 1.8 atual.

Podemos concluir que a gama da Chevrolet para o segundo semestre de 2011 por ordem de preço deverá ser: Celta e Corsa Classic reestilizados como carros de entrada; Spark (apresentado no Salão de Genebra este ano) e Prisma remodelado; família Agile; novo Astra (que passará em suas versões de entrada a fazer o papel que hoje é desempenhado pelo atual Astra com preço muito atrativo comparado ao dos concorrentes de mesmo porte; Cruze e Captiva (esses dois últimos importados do México); Malibu; Cadillac CTS; e Traverse, além de sua consagrada linha de picapes, na qual a S10 já estará disponível em sua novíssima versão ainda em desenvolvimento.

Lançamentos
Para os monovolumes Meriva e Zafira, uma agradável surpresa ainda em desenvolvimento. Uma gama que deverá ir dos R$ 22 mil até os R$ 160 mil (em valores atuais) atendendo às necessidades da grande maioria ds consumidores. É a nova Chevrolet, que começou a nascer com o lançamento da Captiva e promete ainda mais surpresas em um curto período de tempo.

FIESTA SEDÃ
A versão sedã do novo Fiesta chega ao mercado nacional no final de 2010, um pouco antes, portanto, do novo Astra. Páreo duro.

HONDA CITY
Recém-chegado, já tem muitos fãs por causa da marca Honda. Como fator contrário, tem preço superestimado com relação ao mercado.

POLO SEDÃ
Não é dos mais modernos. O modelo europeu já foi profundamente alterado com relação ao brasileiro. Aqui também deverá ser atualizado até 2010.

LINEA
Apesar de seu maior entre-eixos e bitola com relação ao Punto, teve seu projeto inspirado no hatch. Linhas modernas e motores mais potentes são destaques.

Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001