23 de setembro de 2009 às 09h04m
Teste para comprar

Que tal um teste drive na futura esposa? Saber suas manias, suas vantagens. Na vida real isso não existe. Mas no mundo automotivo, é possível comparar os veículos


O "test drive" ou se expressando melhor em nossa língua, o "teste de direção", tornou-se um importante atalho de vendas para as concessionárias. Pelo menos 50% dos clientes que fazem a avaliação resolvem pela compra. Se o futuro comprador está dividido entre duas ou mais marcas, o teste é decisivo.

O Caderno Automóvel foi "sentir na pele" como isto é feito pelas revendedoras em seu dia a dia. Por onde começar? Se passando por um cliente comum, ligo para uma autorizada e digo que estou interessado por um veículo, mas estou em dúvida e quero conhecê-lo melhor através de um teste de direção. A vendedora marca um horário e lá estou.

O meu interesse é um "carro popular", com motor 1.0, da Volkswagen. Na Ceará Motor - revendedora da marca - antes de dirigi-lo, a minha CNH é fotocopiada.

A bordo do carro, ao meu lado, a consultora de vendas Carla Ribeiro (nome fictício) fala dos atributos do veículo como consumo, motorização, itens de série, detalhes internos, som, direção, preço, estofamento, manutenção...e até do cinto de segurança e sua funcionalidade. "Muitas vezes perdemos o cliente porque ele não conhece o carro direito. Por isso, a nossa intenção é fazer com que ele dirija o automóvel", diz.

Segundo ela, a própria empresa estimula este tipo de situação. "Aqui, o vendedor que fizer mais test-drive ganha uma caçamba de prêmios", detalha.

A consultora de vendas, Vitória Rabelo, diz que o teste-drive tem o poder de determinar a compra. "Das cinco pessoas que atendo por dia, duas chegam a fazer o teste. Algumas têm medo de bater e não fazem", revela.

O teste foi rápido. Duas voltas no quarteirão pelas imediações da concessionária, com duração de seis minutos. "Mas na hora que eu estava pegando gosto", brinquei. "É porque o carro do teste não está aqui. Mas se estivesse, duraria quase o mesmo tempo", conta.

No mesmo dia, em uma outra revendedora, o veículo escolhido foi um sedan de luxo, o Corolla SE-G. A consultora de vendas Regina Caldas (nome fictício), da Newland, Toyota, senta ao meu lado.

Durante o trajeto de 10 quilômetros, Regina vai contando os atributos do veículo e o que ele pode proporcionar. Usando a mesma tática, a vendedora reforça esses itens.

Numa conversa informal, ela calcula que chega a atender três clientes por dia. Dos três, um ou dois chegam a fechar negócio após o teste de direção. "Acredito que você seja um deles", sorri, otimista.

Nas avenidas paralelas da Washington Soares, a vendedora vai perguntando se eu estou gostando. "Não é confortável? Apesar dos buracos, quase não dá pra senti-los, não é ?", questiona, empolgada.

No outro dia, cansado de veículos de passeio, meu alvo era um carro 4x4. Queria entra no mundo off-road e sentir o cheiro de terra batida. Escolhi a Mito - revendedora Mitsubishi - para fazer uma avaliação do Pajero Dakar.

De acordo com o vendedor, Carlos de Sousa (nome fictício), o automóvel não estava disponível no momento. Perguntei por um TR-4. Também não estava à disposição. "O que você tem?". "Temos uma Pajero Sport."

Depois de tirar o carro do salão, andei com ele nos arredores da empresa. Perto de finalizar o teste - menos que quatro minutos - perguntei se não teria que usá-lo nas dunas. Carlos informou que a Mito tem uma pista de testes (um areal) por perto, mas como o carro não foi emplacado, ele não poderia forçá-lo, pois o futuro dono perceberia.

Impressões

Há concessionárias que disponibilizam um final de semana com o veículo para clientes VIP. Porém, isto é um fato raro, pois para o cliente adquirir este status tem que ser "prata da casa" ou muito amigo de um diretor.

Nas andanças que o suplemento fez, deu para perceber que não existe a linha toda para o cliente fazer o teste. Alguns carros são tirados do salão mesmo, zero-quilômetro.

Das três concessionárias em que compareci, só duas retornaram para saber se eu tinha gostado ou não e que estavam dispostas a negociar sobre os preços dos veículos. Por isso o conselho sábio: teste sempre o carro para conferir seus atributos e se ele se adequa ao uso que vai ter em sua casa. E também no seu bolso, é claro.

Dicas

1) Escolha a categoria de carro que quer: popular, sedan pequeno, médio, ou grande, esportivo, picape, 4x4

2) Pesquisa: na Internet e na mídia especializada você verá detalhes do veículos

3) No teste: tire todas as dúvidas, leve a família e veja se o conforto agrada

4) Decisão: quando estiver seguro
Fonte: Diario on line

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001