20 de junho de 2009 às 15h06m
Negociando salário no meio da crise

Você está pedindo aumento para o seu chefe? Talvez este seja o assunto mais embaraçoso para se tratar com um superior. E a concorrência está crescendo com bons profissionais no mercado

Quanto maior a concorrência, maior o medo de perder o emprego. Dessa forma, aquele pedido de aumento no salário vai sempre ficando para depois. Em tempos de economia em crise, a situação se agrava ainda mais. Se o risco da instabilidade já está batendo na porta até das grandes indústrias multinacionais, toda cautela, com certeza, é necessária.

Negociar o próprio salário não é para ser tão complicado quanto imaginamos. Com um pouco de jogo de cintura, flexibilidade e observação das regras básicas, é possível tirar uma casquinha do tão sonhado aumento salarial.

Entenda que se você não pedir, seu patrão presumirá que você está satisfeito com o seu salário. Conhece o ditado ´quem não chora, não mama´? Além disso, seu patrão está lá para gastar menos, enquanto você quer ganhar mais.

Mesmo assim, não é só chegar e começar logo pedindo aumento de salário. É absolutamente necessário e muito importante que exista a certeza de que você é merecedor desse reconhecimento e está pronto para negociar.

Onde pisa

A primeira dica, que facilita a negociação, é conhecer bem o seu chefe e a sua empresa. Sem argumentos para debater com seu chefe, caso ele jogue uma justificativa qualquer na mesa, você vai desperdiçar sua chance.

Encare a negociação como um campo de batalha: entrar sem conhecê-lo é praticamente suicídio. Procure cercar-se de todas as informações que puder. Colete dados sobre a empresa, produtos, concorrentes, objetivos, metas e perfil dos principais gestores.

Além de conhecer a empresa, é importante saber exatamente qual a sua função dentro do cenário geral da mesma.

Quais seriam as suas possíveis promoções? Compare seu crescimento na empresa com o crescimento de outros colegas em iguais condições de qualificação e dedicação.

Descubra o salário médio dos executivos dos concorrentes que ocupam a mesma posição que você. Este conhecimento é fator fundamental para uma boa argumentação. O pedido de aumento deve ser lógico e justificado, tanto do ponto de vista da empresa, quanto do mercado.

Últimos momentos

Muito cuidado no momento da negociação. É preciso saber entrar e sair de cada tema. Insistir, sem argumentos, pode provocar um efeito contrário e causar a sua demissão. Saiba a hora adequada de recuar.

Tente observar as coisas do ponto de vista do seu empregador. Ponha-se no lugar dele. Seja paciente e não ganancioso.
Fonte: Diario on line

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001