07 de junho de 2009 às 10h27m
Profissão Guia turístico

Com 820 profissionais credenciados no Estado, o guia de turismo é considerado uma ocupação promissora, de acordo com especialistas, principalmente com a Copa do Mundo de Futebol de 2014. Fortaleza será subsede do evento


As férias de julho estão chegando e com elas a oportunidade de trabalhar na área do turismo. De acordo com o presidente da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH), Régis Medeiros, ainda é cedo para se traçar expectativa do número de turistas que venham visitar o Estado em julho, apesar de que no ano passado 217.448 pessoas visitaram o Ceará, ocupando 80,83% de quartos de hotéis. Entretanto, segundo a presidente do Sindicato dos Guias de Turismo do Ceará (Sindegtur-CE), Efigênia Ripardo, nesse período as agências devem aumentar em até 50% o seu quadro de guias de turismo.

Essa é uma profissão que abrange atividades de acompanhamento, orientação e transmissão de informações aos turistas em visita a determinada cidade. Para se tornar guia, o interessado deve ter segundo grau completo e formação em escola técnica credenciada à Secretaria de Turismo. Podem trabalhar em hotéis, agências de viagens e em área de recreação pedagógica. O profissional é autônomo, embora muitas empresas contratem formalmente.

De acordo com Efigênia Ripardo para uma pessoa ser guia ela precisa ser comunicativa, ter compromisso, responsabilidade, assiduidade, pontualidade, estar sempre bem informado tanto em conhecimentos gerais como específicos, como por exemplo esportes e pedagogia, já que muitos atuam na área de turismo pedagógico, oferecendo aulas de campo às escolas.

Conforme Maeli Fanini, presidente da Associação Brasileira dos Guias de Turismo (Abgetur), houve uma convenção entre os sindicatos do País onde foi estabelecida a faixa salarial da ocupação. Se a programação exercida pelo guia for de meio período, durante quatro ou cinco horas, a remuneração é de R$ 120. Se a atividade for durante todo o dia, em torno de oito horas, R$ 170. Para os guias que falam outros idiomas, esse valor sobe de R$ 10 a R$ 20.

E-MAIS

> O Sindegtur-CE também funciona como canal entre as empresas e os guias;

> Algumas empresas procuram o sindicato para que ele indique profissionais para preencher seu quadro;

> De acordo com Efigênia, presidente do Sindicato, a prioridade é para os guias sindicalizados.

> Durante as atividades, o guia deve estar portando a carteira de credenciamento à Secretaria de Turismo.

> De acordo com Efigênia Ripardo, é o Ministério do Turismo quem dá a competência oficial ao exercício da profissão.

> Embora a fiscalização seja intensa, o Ministério ainda não divulgou a pena aos guias que não estiverem com sua carteira.
Fonte: O Povo on line

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001