28 de maio de 2009 às 13h53m
Bons ventos a favor do turismo

O município de São Gonçalo do Amarante é parada obrigatória para o turista que procura uma experiência inesquecível


amosa por suas belezas naturais e pela boa oferta de meios de hospedagem e restaurantes, São Gonçalo do Amarante - localizado a 60 quilômetros de Fortaleza - possui um litoral com condições ideais para a prática de esportes como surf, windsurf e kitesurf. Essas características levam o município a integrar-se ao roteiro Costa dos Ventos, uma rota turística que está sendo estruturada pelo Sebrae no Ceará e que envolve ainda Caucaia, Paracuru, Paraipaba e Trairi.

Três praias compõem a orla de São Gonçalo do Amarante: Pecém, Taíba e Colônia. A primeira delas, Pecém, é conhecida por abrigar o mais importante terminal portuário do Ceará. O porto do Pecém é a porta de saída de 60% dos produtos exportados pelo Estado, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior do governo federal. Mas o que encanta os turistas é o cenário da praia, composto por enseadas e piscinas naturais de água salgada, coqueirais, jangadas e dunas brancas, contrastando com o verde das águas do mar.

Logo após, o visitante encontra a praia da Taíba, que é considerada o carro-chefe do turismo de São Gonçalo do Amarante. O destino se tornou recanto dos adeptos de esportes náuticos, principalmente do surf, no entanto os ventos e as boas ondas não são os únicos atrativos do local. Apreciar, no mirante, o pôr-do-sol em meio aos cataventos de energia eólica é um dos belos momentos que o visitante pode registrar em sua visita à Taíba.

A praia agrega também outros valores às suas riquezas naturais, principalmente a tradição gastronômica que a cada ano se fortalece. Aliando os sabores do mar com o requinte da culinária internacional, a gastronomia da Taíba é trabalhada como um dos principais atrativos turísticos do destino. ´Esse é um diferencial competitivo que a praia possui´, diz o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de São Gonçalo do Amarante, Raimundo Vieira Neto.

São realizados lá dois dos eventos gastronômicos mais concorridos do Estado: o Festival do Escargot e Frutos do Mar, que recebeu em torno de 12 mil pessoas (três vezes mais que a população da vila de pescadores) em sua última edição, no ano passado; e o Luau dos Pescadores - evento tradicional, quando os nativos preparam, em fogueiras à beira-mar, peixes inteiros que são degustados em folhas de bananeira, à moda pescador. A tradição do peixe assado se repete aos sábados de lua cheia e no último sábado de cada mês.

Outro destaque turístico de São Gonçalo é a praia da Colônia, lugar de bela vegetação nativa com ótima infra-estrutura para recepção do turista. Suas barracas de praia e restaurantes oferecem a opção da culinária internacional.

Como exemplo de artesanato local, os turistas encontram, entre outras tipologias, labirinto, crochê, papel machê, redes bordadas, peças de palha de carnaúba, peças de cipó nativo e pinturas.

Para o segundo semestre, conforme o secretário Raimundo Vieira, a prefeitura do município planeja várias ações para incrementar o turismo do município. Entre elas estão a instalação de um posto de informações na Taíba, a construção de um mercado público com centro de artesanato e o início das obras de saneamento básico da praia, em parceria com o Governo do Estado.

Costa dos Ventos

O roteiro turístico integrado da Costa dos Ventos é um projeto do Sebrae/CE, em parceria com as prefeituras municipais e iniciativa privada. As ações do projeto começaram a ser executadas em 2008 e a previsão de conclusão das atividades é para dezembro de 2010.

De acordo com a gestora do projeto, Sandra Duarte, a idéia da iniciativa é harmonizar a oferta turística dos municípios, ampliando a sua competitividade no mercado, sem deixar de respeitar as peculiaridades de cada um.

A busca pela qualidade na prestação dos serviços ao turista e a inserção da comunidade no processo são metas do projeto, que terá sempre em foco a construção de um referencial cultural, principalmente com a inclusão do artesanato como um diferencial mercadológico.

O público alvo do projeto são os empreendedores formais e informais dos meios de hospedagem e alimentação, bugueiros, guias, artesãos e agentes culturais dos cinco municípios. O projeto vai beneficiar cerca de 300 empreendimentos formais e informais da cadeia produtiva do turismo local, atingindo mais de mil pessoas, gerando emprego e renda.
Fonte: Diario on line

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001