27 de abril de 2009 às 14h52m
Seinfra homologa licitação para iniciar desapropriações para a Transnordestina

A Ferrovia Transnordestina vai integrar o Nordeste e deve entrar em operação em 2010.

A Secretaria da Infraestrura (Seinfra) homologou o resultado da licitação que escolheu as empresas Enprol Engenharia e Projetos Ltda. e Goesolos Consultoria, Projetos e Serviços Ltda para obras da Transnordestina no Ceará. Elas serão responsáveis pelos serviços de levantamento topográfico, engenharia de avaliação, identificação de proprietários, coleta de documentos e apoio à Companhia Cearense de Transportes Metropolitanos (Metrofor) na execução das desapropriações de imóveis localizados na faixa de domínio da Transnordestina no trecho Missão Velha -Pecém.

Os trabalhos foram divididos em três lotes: Missão Velha-Acopiara, Acopiara-Quixadá e Quixadá-São Gonçalo do Amarante (Complexo Industrial e Portuário do Pecém). Os trabalhos terão investimentos da ordem de R$ 1,5 milhão oriundos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e Governo do Estado. A homologação foi publicada no Diário Oficial do Estado no dia 20 passado. A próxima fase agora será a redação dos contratos e a assinatura da Ordem de Serviços.

A Ferrovia Transnordestina permitirá a integração da estrutura produtiva do Nordeste com as demais regiões brasileiras, unindo três pontos do sistema ferroviário do Nordeste - Missão Velha (CE), Salgueiro (PE) e Petrolina (PE), alavancando, assim, o desenvolvimento econômico de diversos setores em sua área de abrangência, especialmente o polo gesseiro do Araripe e o polo agroindustrial de Petrolina e Juazeiro. Além disso, integrará o sistema hidroviário do São Francisco, o sistema rodoviário sertanejo e o sistema ferroviário já existente, tornando mais eficiente a logística do transporte de cargas. A ferrovia contribuirá, também, para a dinamização da atividade econômica nas áreas próximas à malha, aumentando, assim, a geração de empregos e renda e reduzindo as desigualdades sociais. A estrada elevará a capacidade de escoamento agrícola para os portos de Pecém e Suape (PE). O custo total do empreendimento é de R$ 5,4 bilhões devendo ser concluída até 2010.


Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001