24 de abril de 2009 às 09h47m
Lançamento do Programa Mulheres Pedreiras no Hospital da Mulher de Fortaleza

Será hoje (sexta-feira, 24), às 16 horas, no próprio canteiro de obras.


Crédito: Rubens Venâncio
Participarão as 6 pedreiras que já começaram a trabalhar no último dia 7, e outros cerca de 140 funcionários. A ideia é fazer uma sensibilização pela prevenção à violência doméstica e sexual contra a mulher e pelo rompimento da segregação ocupacional. A farmacêutica bioquímica Maria da Penha Maia Fernandes, que dá nome à lei 11.340, também estará presente para conversar com os trabalhadores/as.

Em anexo, envio fotos tiradas no último dia 7 de abril, primeiro dia de trabalho delas.

 

Maria da Penha participa, nesta sexta-feira (24), do lançamento do Programa Mulheres Pedreiras no Hospital da Mulher

 

Será lançado nesta sexta-feira (24), às 16 horas, o Programa Mulheres Pedreiras do Hospital da Mulher de Fortaleza, no canteiro de obras do Hospital, no bairro Jóquei Clube. O Programa é uma ação afirmativa sobre a inserção das mulheres no mundo do trabalho, rompendo com a segregação ocupacional. Ao todo, 13 mulheres já foram cadastradas na obra para aguardar frentes de serviço – as primeiras seis iniciaram os trabalhos no último dia 7 de abril.

Liduína Arcelino dos Reis, Veroneide de Paula, Cátia Martins, Maria Vieira, Rosilene Nunes e Maria Aparecida Lopes já estão com carteira de trabalho assinada. Elas participam, junto ao restante do grupo que aguarda contratação, de oficinas de autoestima e prevenção de violência doméstica e sexual. Também estão programadas atividades de prevenção, no mesmo foco, com os homens lotados na obra, de modo a assegurar a integridade física, emocional e psicológica das mulheres pedreiras.

No evento desta sexta-feira, representantes da coordenação do projeto Hospital da Mulher de Fortaleza e seus parceiros farão uma sensibilização de prevenção à violência com os cerca de 140 trabalhadores da obra. Na ocasião, a Coordenadoria de Política Pública para as Mulheres da Prefeitura, representada pelo Centro de Referência Francisca Clotilde, farão uma apresentação sobre a lei 11.340 (Lei Maria da Penha). A própria cearense Maria da Penha, farmacêutica bioquímica que dá nome à lei, é presença confirmada no evento. Atualmente, ela é coordenadora de honra da Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres da Prefeitura.

Para a coordenadora do Projeto Hospital da Mulher de Fortaleza, Lourdes Góes, incluir as mulheres em todos os espaços é uma preocupação da Prefeitura. “E do ponto de vista do Hospital da Mulher, para nós isso é extremamente simbólico”, comemora a assessora técnica da Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres da Prefeitura, Raquel Viana.

“Achamos essa ideia muito legal. Em São Paulo, por exemplo, nunca nos fizeram essa solicitação. Aqui no Hospital da Mulher, o vestiário feminino foi feito desde o início do canteiro de obras”, afirmou Rodrigo Chahad, um dos engenheiros da Planova, em seu primeiro encontro com as mulheres pedreiras, em uma reunião com a coordenação do Projeto para pactuar a contratação das novas funcionárias.

O Programa Mulheres Pedreiras é uma realização da Coordenação do Projeto Hospital da Mulher de Fortaleza, em parceria com a Coordenadoria de Políticas Públicas para as Mulheres da Prefeitura e a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas).

 

Data do lançamento: 24 de abril de 2009 – sexta-feira

Local: canteiro de obras do Hospital da Mulher de Fortaleza (cruzamento das avenidas Carneiro de Mendonça e Lineu Machado – Jóquei Clube) – entrada pela av. Lineu Machado

Horário: 16 horas

 

 

MAIS SOBRE O HOSPITAL DA MULHER:

Entre os serviços que serão oferecidos pelo Hospital da Mulher de Fortaleza, estão várias novidades ou necessidades na saúde pública:

. Tratamento médico e psicológico às adolescentes vítimas de violência doméstica e sexual;

. Trabalho de educação em saúde e aconselhamento, incluindo as adolescentes trabalhadoras do sexo;

. Assistência humanizada ao parto de risco;

. Assistência humanizada às complicações do aborto inseguro e ao abortamento previsto em lei;

. Hormonioterapia, fitoterápicos e demais terapias complementares às mulheres climatéricas (35 a 60 anos);

. Trabalho de educação em saúde e sexualidade na terceira idade e na velhice, além de trabalho visando o aumento da auto-estima da pessoa idosa.

 

SAIBA MAIS

. O Hospital da Mulher de Fortaleza estará equipado para atender mulheres portadoras de qualquer tipo de deficiência, a exemplo da visual, auditiva e motora.

. Um centro de reprodução humana integra o novo equipamento de saúde, para aquelas que têm dificuldade de engravidar.

. Haverá atendimento personalizado também para gestantes de alto risco, com enfoque na redução da mortalidade materna.

 

OS NÚMEROS

 

. Área do terreno: 70.746, 32 m²

. Área total construída: 26.465 m²

. Nº de leitos: 184

. Valor total da obra: R$ 66.179.843,36

. Orçamento do projeto: R$ 57.619.611,42. Em 29/10/2008, foi realizado um 1º aditivo contratual (R$ 8.560.231,94), correspondente a 14,85% do valor principal. Valor total da obra com aditivo: R$ 66.179.843,36.

. Do Tesouro Municipal, já foram aplicados R$ 8.658.706,43. Outros R$ 3.745.882,50 vieram do Governo Federal, o que totaliza R$ 12.404.588,93 já aplicados.

 

 


Fonte: Prefeitura Municipal de Fortaleza

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001