16 de março de 2009 às 16h31m
Consumo Responsavel :

A sociedade de consumo produz carências e desejos (materiais e simbólicos) incessantemente. Os indivíduos passam a ser reconhecidos, avaliados e julgados por aquilo que consomem, aquilo que vestem ou calçam, pelo carro e pelo telefone celular que exibem em público.

Consumo responsável
 
Se quisermos avançar na direção de um consumo responsável, devemos começar mudando algumas atitudes no nosso dia-a-dia. Antes de comprar, pergunte a si mesmo:
 
• Necessito realmente do produto que vou comprar?
 
• É de boa qualidade? Como posso ter certeza disso?
 
• É possível consertá-lo, reutilizá-lo ou reciclá-lo?
 
• Posso compartilhá-lo com outras pessoas?
 
• Escolhi o produto que faz menos mal ao meio ambiente?
 
Na hora da compra, devemos verificar se:
 
• os produtos não danificam o meio ambiente em seu processo de elaboração (emissões e resíduos contaminantes) e descarte, depois que termina seu ciclo de vida.
 
• as informações importantes sobre o produto estão especificadas nas etiquetas e correspondem ao real conteúdo da embalagem.
 
• existe uma certificação ambiental expedida por uma entidade independente.
 
• o serviço estatal de defesa do consumidor efetua permanentemente testes para comparar os produtos de um mesmo tipo, a fim de ter produtos de melhor qualidade, mais duráveis e que danifiquem menos o meio ambiente.
 
Além disso, podemos:
 
• incentivar a criação de instrumentos legais para impedir os anúncios publicitários enganosos;
 
• exigir que as agências de publicidade ofereçam mais informações pertinentes sobre os produtos, de forma a promover uma escolha mais consciente por parte do consumidor e que a publicidade dirigida a crianças e jovens seja a mais saudável possível.
 
O consumidor responsável deve cobrar permanentemente uma postura ética e responsável de empresas, governos e de outros consumidores. Deve, ainda, buscar informações sobre os impactos dos seus hábitos de consumo e agir como cidadão consciente de sua responsabilidade em relação às outras pessoas e aos seres do planeta.
 
As empresas devem agir de forma socialmente e ambientalmente responsáveis em todas as suas atividades produtivas. Nesse sentido, responsabilidade social empresarial significa adotar princípios e assumir práticas que vão além da legislação, contribuindo para a construção de sociedades sustentáveis.
 
Os governos devem garantir os direitos civis, sociais e políticos de todos os cidadãos; elaborar e fazer cumprir a Agenda 21, por meio de políticas públicas, de programas de educação ambiental e de incentivo ao consumo sustentável. Além disso, devem incentivar a pesquisa científica voltada para a mudança dos níveis e padrões de consumo e fiscalizar o cumprimento das leis ambientais.
 
Vivemos em um país onde a eliminação da pobreza, a diminuição da desigualdade social e a preservação do nosso ambiente devem ser prioridades para consumidores, empresas e governos, pois todos são co-responsáveis pela construção de sociedades sustentáveis e mais justas.
 
A economia solidária, por exemplo, é uma forma de consumo ao mesmo tempo responsável ambiental e socialmente. É uma prática de colaboração e solidariedade, inspirada por valores culturais que colocam o ser humano como sujeito e finalidade da atividade econômica, ao invés da acumulação da riqueza e de capital. Baseia-se numa globalização mais humana e valoriza o trabalho, o saber e a criatividade, buscando satisfazer plenamente as necessidades de todos. Constitui-se num poderoso instrumento de combate à exclusão social e congrega diferentes práticas associativas, comunitárias, artesanais, individuais, familiares e cooperação entre campo e cidade. (http://www.fbes.org.br )

Fonte: Portal do meio ambiente

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001