05 de dezembro de 2008
Fidel diz que Cuba conversa com Obama onde quiser

O líder cubano Fidel Castro afirmou ontem que, com o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, Cuba conversa "onde quiser", já que a ilha não prega a violência nem a guerra.

"Com Obama, pode-se conversar onde quiser, já que não pregamos a violência nem a guerra. (Mas) É preciso recordar-lhe que a doutrina do burro e da cenoura não terá vigência em nosso país", disse o ex-presidente cubano em um de seus artigos da coluna "Reflexões", publicado hoje no site "Cubadebate.cu".

Desde julho de 2006, quando Raúl Castro assumiu a Presidência provisória do país, Fidel reiterou em três oportunidades a predisposição do Governo de resolver o conflito com os EUA na mesa de negociação, mas esta é a primeira vez que o ex-governante comenta sobre o assunto desde a eleição de Obama.

Fidel assinalou que "alguém tinha de dar uma resposta serena e tranqüila, que deve navegar hoje contra a poderosa maré das ilusões que Obama despertou na opinião pública internacional".

"O império deve saber que nossa pátria pode ser transformada em pó, mas os direitos soberanos do povo cubano não são negociáveis", acrescentou.

Fidel indicou que, durante a campanha americana que culminou com a vitória de Obama em 4 de novembro, não deixou "de ser amável com o candidato democrata, em quem via muito mais capacidade e domínio da arte da política que nos adversários, não só no partido oposto, mas também no seu".

No entanto, considerou que "sem a crise econômica, sem a televisão e sem a internet, Obama não ganharia as eleições vencendo o onipotente racismo".

"Sua vitória também não aconteceria sem os estudos que realizou primeiro na Universidade da Colúmbia, onde se graduou em Ciências Políticas, e depois na de Harvard, onde obteve o título de Direito, o que lhe permitiu se transformar em um homem da classe 'modestamente rica', com apenas alguns vários milhões de dólares", disse.
 
Por: EFE
Postado por Carlos Viana

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001