03 de agosto de 2022 às 07h21m
Visita de Nancy Pelosi coloca Forças Armadas de Taiwan em alerta máximo

Nesta terça-feira (2), a presidente da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, desembarcou em Taiwan. O local é palco de fortes tensões entre o governo norte-americano e o chinês, visto que é considerado pelos líderes orientais como uma província rebelde

Nesta terça-feira (2), a presidente da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, desembarcou em Taiwan. O local é palco de fortes tensões entre o governo norte-americano e o chinês, visto que é considerado pelos líderes orientais como uma província rebelde

Em suas redes sociais, a presidente da Câmara afirmou que a visita teria como objetivo horar o “compromisso inabalável dos EUA em apoiar a vibrante Democracia de Taiwan”. A ida de Pelosi a Taiwan foi a primeira realizada por uma autoridade estadunidense em 25 anos.

Por diversas vezes nos últimos dias, o líder chinês, Xi-Jinping, alertou os Estados Unidos que a visita seria interpretada como uma provocação inaceitável, afirmando, inclusive, que o país estaria brincando com fogo”. Os Estados Unidos, por sua vez, oficialmente ainda mantém sua política de defesa de “China única” e não reconhecem a independência de Taiwan, porém também mantém apoio militar à ilha por acreditarem que a reintegração forçada não deve ocorrer.

Além disso, para os americanos a intenção chinesa de absorver a ilha é comparada à invasão russa da Ucrânia. A Rússia, por sua vez, acusa os EUA de gerarem instabilidade no mundo permitindo a visita da parlamentar. “Nem um único conflito foi solucionado nas últimas décadas [pelos EUA], mas muitos foram provocados”, disse porta-voz da chancelaria russa, Maria Zakharova.

Sabe-se que Pelosi estava na Malásia e que o avião está no ar, porém ninguém a viu embarcar. A rota pode ter como destino Taiwan, Japão ou Coreia do Sul.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001