29 de junho de 2022 às 08h06m
Ceará Credi completa um ano de operação beneficiando mais de 31 mil empreendedores cearenses

Mudança de vida e esperança em dias melhores. É assim que a egressa do sistema penal e cabeleireira, Andréia Rebouças, vê o Ceará Credi.

. “Esse programa significa minha mudança definitiva de vida, o impulso que faltava para mim. Com o crédito de R$ 4,5 mil eu comprei equipamentos, produtos e abri meu próprio salão de beleza. Com as minhas habilidades de salão, eu era professora de curso profissionalizante, mas quando eu descobri que poderia participar desse programa, e me capacitar para empreender, não pensei duas vezes, coloquei o meu salão e graças a Deus eu estou vivendo disso”, comemorou. Ela faz parte de uma das linhas prioritárias do Ceara Credi, programa de microcrédito orientado do Governo do Ceará, que completa um ano de operação em junho.

A cabeleireira foi uma das agraciadas pela governadora Izolda Cela, com o reconhecimento de empreendedores de sucesso do Ceará Credi, que é desenvolvido pela Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece), Instituto E-Dinheiro e Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT) e objetiva agir de forma estratégica na inclusão produtiva e financeira da camada mais vulnerável da população cearense.

O programa visa ampliar oportunidades de trabalho e renda para microempreendedores, trabalhadores autônomos, formais e informais, e agricultores familiares, por meio da disponibilização de crédito produtivo orientado, capacitação empreendedora e educação financeira.

A solenidade que celebrou um ano do programa e reconheceu os empreendedores de sucesso aconteceu no Palácio da Abolição nesta terça-feira (28) e contou com as presenças do secretário estadual do Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedet), Maia Júnior; do presidente da Adece, Francisco Rabelo; da titular da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), Ana Teresa Carvalho; do presidente do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT), Vladyson Viana; do secretário-Executivo do Trabalho e Empreendedorismo da Sedet, Kennedy Vasconcelos; da diretora de Economia Popular e Solidária da Adece, Silvana Parente: e do coordenador do Instituto E-Dinheiro Brasil e da Rede Brasileira de Bancos Comunitários, Joaquim de Melo.

“Nosso governo trabalhou, ao longo desses anos, para garantir que o Estado seja forte economicamente e competitivo, que possa atrair novas empresas, investidores, com novas infraestruturas. O Ceará é uma referência no Brasil em investimentos. São esforços feitos de forma convergente e sistêmica, e temos aqui esse braço de comprometimento com o microcrédito. Estamos promovendo o trabalho dos pequenos empreendimentos, gerando novas esperanças. E nós temos o objetivo de dar expansão a isso, de fazer chegar cada vez mais esse microcrédito ao maior número de pessoas no Ceará, principalmente aquelas pessoas que realmente precisam, e que estão protagonizando uma virada nas suas vidas. Dar a condição de trabalho, impulsionar sua renda, isso muda a vida de muitas famílias, repercute em comunidades, e na sociedade. É isso que vai fortalecer a nossa teia social, e é por isso que temos trabalhado, em melhorar a vida das pessoas do Ceará”, pontuou a governadora.

Em 12 meses de operação, o Programa já liberou mais de R$ 80 milhões em crédito para mais de 30,5 mil micro e pequenos empreendedores cearenses. Até junho de 2022, já foram atendidas mais de 48 mil pessoas pelos 114 agentes, 13 assistentes administrativos e 11 supervisores de créditos espalhados pelos 184 municípios cearenses.

O Programa tem como grupos de prioridade: mulheres vítimas de violência, pessoas com deficiência, egressos do sistema prisional e mulheres chefes de família, que sejam empreendedoras informais e que possuam um negócio e desejam fortalecê-lo. Na sequência serão atendidos todos os clientes cadastrados na base.

Maia Júnior destacou o olhar do programa aos mais vulneráveis, e apontou capacidade expansiva do Ceará Credi. “Feliz em ver na preponderância de jovens, e mais que isso de mulheres em busca do seu próprio empreendedorismo. A liderança das mulheres nos dá muito orgulho, pois o programa também trabalha muito bem em casos de mulheres vítimas da violência, os egressos do sistema penal, é uma forma de acolher economicamente. É um programa que realmente tem uma capacidade expansiva sobre todos os aspectos, e registro que o Estado do Ceará inovou ao montar um programa que chegou aos empreendedores mais humildes, aos vulneráveis, e isso nos dá um orgulho tremendo. Essa inversão de valores, de direcionar não para as grandes empresas, mas principalmente para as pequenas empresas é que muda tudo”, disse o titular da Sedet.

“Estamos celebrando uma missão que recebemos, e acredito que estamos cumprindo bem o nosso papel. Tentamos, empreendemos juntos, buscamos parcerias e passo a passo mostramos que a gente tem condição de fazer. Agradeço aos parceiros, internos e externos, colaboradores, prefeituras que abraçaram nosso programa e aos agraciados com o crédito, vocês são uma prova que essa missão é espetacular, e é uma missão estratégica para o Governo do Estado. Mas também para a sociedade, e nesse momento a gente tem muita alegria em poder mostrar não apenas números, mas mudanças de vida, que mostram que o nosso programa atua de uma maneira muito completa, de acolher e olhar para as desigualdades, como pessoas negativadas, ou pessoas com alguma deficiência, no atendimento com as mulheres vítima de violência, enfim, há um um olhar muito especial e humano para as pessoas, pensando em uma sociedade melhor”, explicou Francisco Rabelo.

Cursos de capacitação

A Adece, responsável pela operacionalização do programa, desenvolveu uma trilha de capacitação dos empreendedores atendidos pelo Ceará Credi. A iniciativa faz parte da estratégia de inclusão produtiva e financeira do programa no Estado e tem o objetivo de capacitar microempreendedores e futuros clientes do programa para o desenvolvimento dos seus negócios. Os cursos são realizados de forma gratuita e online, são de curta duração e disponibilizam videoaulas com linguagem e conteúdo simples.

Até junho de 2022, mais de 9,5 mil clientes atendidos pelo programa realizaram cursos de gestão empreendedora e educação financeira. Entre os temas abordados pelas capacitações, foram ofertados cursos como: Prepare-se para Conseguir o Crédito; Ajudando Você a Pensar no seu Negócio; Marketing Digital; Formalização para Mulher Empreendedora; e Como Cuidar do dinheiro do Seu Negócio.

Interiorização e ampliação das linhas de crédito

Adece realizou, no início de 2022, um chamamento público de prefeituras para a ampliação dos postos de atendimento do Ceará Credi no interior do Estado. Ao todo, 80 municípios aderiram à parceria e iniciaram, em maio, o atendimento de micro e pequenos empreendedores interessados em adquirirem crédito por meio do programa de microcrédito.

A parceria não envolve repasse de recursos para os municípios. As prefeituras são responsáveis pela disponibilização de sala equipada e agentes administrativos remunerados para o atendimento do público em conjunto com os agentes de créditos. A concessão do microcrédito nos municípios com estrutura técnica e metodológica, e a capacitação dos agentes administrativos são de responsabilidade da Adece

Empreendedorismo comunitário

Para Fabiane Silva, ser beneficiada pelo Ceará Credi fez com que ela pudesse ajudar a outros microempreendedores. “Eu tenho uma marca de camisetas que comunica esperança, e recebi pouco mais de R$ 4 mil para investir na minha própria produção, mas principalmente em um novo site para facilitar e melhorar minhas vendas, e deu certo. Mas não só para mim, hoje me sinto uma empreendedora comunitária, que dá mentoria e aulas de empreendedorismo de forma voluntária a quem precisa mais do que eu. Então meu negócio começa nas camisetas, em mensagens positivas e afirmativas, mas germina ainda mais ao fazer a diferença na vida de outras pessoas, para promover as suas vocações”, disse a empreendedora.

Setores mais procurados

O setor de Alimentação/Lanchonete, é o segundo setor mais procurado entre os pequenos empreendedores que são contemplados com o Ceará Credi, com 12.4%, onde estão inseridas Ana Mota, que vende pizzas veganas de forma delivery, e Georgete da Silva, que vende lanches em uma praça no bairro Presidente Kennedy, em Fortaleza.


Fonte: Governo do Ceará

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001