22 de junho de 2022 às 10h35m
Especialista alerta para a insônia provocada pelo estresse e ansiedade

O estresse e a ansiedade podem acarretar em outros problemas de saúde que vão além da insônia.

Com filmes de terror e suspense, o cinema popularizou a premissa de que às 3h seria a tal hora neutra em que manifestações sobrenaturais podem ser vistas por quem estiver acordado. Independente do que se crê, acordar às 3 horas da madrugada pode ter a causa em outros “fantasmas” que mais tem a ver com o estresse e a preocupação do dia a dia do que com as coisas do outro mundo. Isso é insônia.

Quem sofre deste mal, de acordar na melhor parte do sono, e não conseguir dormir, entre às 3h e às 4h, precisa procurar ajuda especializada o mais rápido possível. O estresse e a ansiedade podem acarretar em outros problemas de saúde que vão além da insônia.

A psicóloga Rosemar Vasconcelos ressalta que os brasileiros se tornaram um povo “ansioso”. Fato reconhecido também pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que aponta o Brasil como o país com o maior índice de pessoas com ansiedade no mundo. Sete em cada dez brasileiros apresentam ansiedade.

Tratamento para insônia, ansiedade e depressão

Entre 2020 e 2021, 20,1% dos pacientes que procuraram algum tipo de acompanhamento psicológico tinham como objetivo tratar da ansiedade. O índice é maior, inclusive, dos que procuraram ajuda para tratar depressão (6,5%).

“O estresse e o excesso de informação tem causado desconforto entre as pessoas – e muitas não estão dando conta de ter de lidar com tudo”, atentou Rosemar. “Acordar de madrugada, ter insônia, pode ser um sinal de que a mente da pessoa continua acelerada. As demandas de emoção, paixão, as cobranças e o medo afetam o sono de homens e mulheres, adultos e jovens”, disse.

Para a especialista, a rotina tem sido tão intensa e as preocupações tão grandes que os brasileiros esqueceram como é que se dorme. “Não conseguem se desligar. As pessoas precisam aprender a voltar a dormir. O sono proporciona a limpeza mental que vai garantir o humor, a percepção (atenção), a memória e a concentração. Isto sem falar de outros processos fisiológicos como a produção de hormônios”, salientou.

“É necessário haver um equilíbrio entre planejar, organizar, cuidar e executar todas as tarefas do dia”, pontua a psicóloga.

Ela orienta que as pessoas desliguem o celular na hora de dormir ou pelo menos coloquem o aparelho longe da cabeceira da cama. Deixem de ler as mensagens nos aplicativos por pelo menos meia hora antes de deitar. Diminuir a luz do ambiente (quarto) também é importante para a qualidade do sono.


Fonte: gcmais.com.br

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001