03 de junho de 2022 às 07h10m
Prefeitura promete aumentar a taxa de reciclagem da capital cearense para 50%

O prefeito de Fortaleza, José Sarto, participou, da Conferência Stockholm+50, realizada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (UNEP), na Suécia

Ele compôs painel temático sobre gestão de resíduos sólidos e assumiu compromisso de elevar a taxa de reciclagem em Fortaleza para o patamar de 50% em oito anos.
Atualmente, o índice é de quase 9%. Um número baixo, mas, ainda assim, acima da média do País, que é de cerca de 4%. “A Prefeitura está inteiramente empenhada na elaboração de um ousado plano, que prevê ações em diferentes frentes, incluindo social, econômica, ambiental, tecnologia e na infraestrutura. Como foi dito muitas vezes durante o encontro, essa não é uma discussão apenas sobre lixo. É sobre vidas, sobre saúde pública, sobre compromisso com o meio ambiente”, afirmou o prefeito.

Ao anunciar o compromisso durante a conferência internacional, Sarto alinhou os esforços do Município com o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 11 e com a Meta de Desenvolvimento Sustentável (SGD) 3, que buscam tornar as cidades saudáveis, inclusivas, seguras, resilientes e sustentáveis, visando reduzir o impacto ambiental negativo das cidades, especialmente no que diz respeito à gestão local de resíduos.
Nesse sentido, os Ecopontos foram o destaque na apresentação do prefeito como o principal plano de gerenciamento de resíduos sólidos da Prefeitura, cujos esforços também vêm impactando na mudança climática, na saúde, na criação de empregos e na promoção da igualdade social.

Além disso, equipamentos têm sido eficazes como solução para receber materiais de construção, podas de árvore, móveis antigos e materiais recicláveis. Atualmente, Fortaleza conta com 90 Ecopontos e possui uma média mensal de coleta de 160 toneladas de lixo por meio dessas estruturas, espalhadas por toda a cidade. Através dessa política, a população é estimulada a entregar esses resíduos em troca de desconto na energia elétrica ou no cartão social.
Além disso, para a coleta de materiais recicláveis, a Prefeitura está providenciando triciclos elétricos para os catadores, um modal que pode ser usado pelo grupo de trabalhadores que é considerado vulnerável e informal. A iniciativa promove inclusão social, melhores condições de trabalho e os triciclos podem ser usados, também, para o transporte de carga.

Cidade Limpa
A a Prefeitura já vinha preparando o Programa de Manejo de Resíduos Sólidos “Fortaleza Cidade Limpa”, prevendo estratégias para conscientização da população. Um dos focos é atacar pontos irregulares de lixo, reduzindo riscos para a saúde pública, minimizando a contaminação do solo, a poluição do ar e a desordem urbana.
Dessa forma, estabeleceu regulações para responsabilizar os grandes geradores de lixo por seus dejetos (100 litros de lixo doméstico diários, 50 litros de entulhos de construção ou qualquer quantidade de lixo que envolva contaminação ambiental ou biológica). Essa regulação não somente reduziu os custos públicos de gerenciamento dos resíduos, mas também engajou a população na redução da geração de lixo.

A longo prazo, outros desafios para atingir a política de redução para lixo zero. Esta deve ser incentivada principalmente pela mudança no comportamento da população, induzida pelo aumento das políticas de conscientização, por incentivos econômicos e novas logísticas para a limpeza da cidade.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001