31 de maio de 2022 às 11h32m
Europa acerta embargo parcial do petróleo russo

Quase um mês após prometer vetar toda a compra de petróleo da Rússia, a União Europeia parece ter chegado a um acordo para implantar um embargo parcial de importação do produto como punição a Moscou pela invasão da Ucrânia

A decisão foi anunciada no fim da noite de ontem (30, começo da noite em Brasília) em um cenário de intensa pressão militar russa no leste ucraniano. A expectativa levou o preço do barril de petróleo para a casa dos US$ 120, valor que poderá subir e pressionar ainda mais os líderes europeus, que já enfrentam o impacto inflacionário da crise.

Se confirmado, é uma boa notícia para Kiev, que passou as últimas semanas criticando o que vê como leniência de governos europeus com Putin e, nesta segunda, havia recebido má notícia até de seu maior apoiador, os Estados Unidos: o governo de Joe Biden vetou a entrega de lançadores de mísseis de longo alcance ao país. Segundo disse no Twitter o presidente do Conselho Europeu, o belga Charles Michel, o plano de cortar até dois terços da compra de petróleo russo pelos 27 países da UE (União Europeia) até o fim deste ano deverá ser aprovado. “A Europa deve mostrar força. Todas as brigas na Europa devem acabar, são disputas internas que apenas incentivam a Rússia a colocar mais pressão sobre vocês”, afirmou o presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, em vídeo gravado para uma sessão do Conselho Europeu. Em 4 de maio, em mais uma rodada de sanções contra a invasão, a Europa havia prometido banir o petróleo russo -que responde por 27% de sua importação do produto, enquanto o gás natural chega a 40%, caracterizando a dependência energética do continente ante Putin.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001