25 de maio de 2022 às 07h22m
EUA: ataque em escola mata ao menos 14 crianças e um professor

Um homem de 18 anos parou seu carro, desceu armado, entrou em uma escola do ensino fundamental e matou a tiros ao menos 14 crianças e um professor.

O ataque ocorreu em Uvalde, cidade no sul do Texas onde três de cada quatro moradores são de origem latina. Foi o pior massacre em uma instituição de ensino infantil nos EUA em quase dez anos.
O atirador foi identificado como Salvador Ramos, 18. Por volta das 11h30 (13h30 em Brasília), ele entrou na escola com uma pistola -e possivelmente com um rifle- e matou os alunos e o professor. Em seguida, foi morto pela polícia, segundo o governador do Texas, o republicano Greg Abbott, contou em uma entrevista coletiva. Há ao menos dois feridos, sendo uma mulher de 66 anos e uma menina de 10 anos, em estado crítico, de acordo com um hospital próximo.

Motivo
Também não se sabe ainda a razão do ataque. A polícia disse acreditar, por ora, que Ramos agiu sozinho. O governador disse que o atirador era um morador de Uvalde. A cidade tem 24 mil habitantes, das quais 72% são de origem latina, segundo dados do censo, e fica a cerca de 100 quilômetros da fronteira com o México. A escola atacada, chamada Robb, tem pouco menos de 600 alunos matriculados. Os pais dos alunos foram orientados a não se aproximar da escola para buscar seus filhos, e a se reunirem em um centro comunitário para obter informações.
Neste momento, as escolas dos EUA vivem os últimos dias de aula antes das férias de verão. O ano letivo terminou na Robb na quinta (26), e haveria festa de formatura na sexta (27), segundo o site da instituição.

Biden
O presidente Joe Biden estava em um voo no momento do ataque, voltando da Ásia. Ele deve falar sobre o assunto ao chegar na Casa Branca, no começo da noite. “Suas orações estão com as famílias impactadas por este acontecimento horrível”, disse a porta-voz Karine Jean-Pierre.

O ataque ocorre dez dias depois de outra ação similar. Em 14 de maio, um homem de 18 anos matou dez pessoas negras na cidade de Buffalo, no estado de Nova York. O atirador, Payton Gendron, abriu fogo contra clientes de um supermercado, numa ação transmitida ao vivo pela internet, ambiente no qual também publicou um manifesto para justificar o ataque, baseado em teorias racistas, como a de que os negros estariam tomando o lugar dos brancos na sociedade
O caso desta terça foi o maior ataque à uma escola primária desde o massacre na escola Sandy Hook, ocorrido em dezembro de 2012 em Connecticut. Naquela ocasião, um homem de 20 anos matou 26 pessoas, sendo que 12 delas eram crianças com idade entre seis e sete anos.

Após o ataque, vieram novos pedidos por restrições no acesso a armas. “Outro ataque a tiros. E o Partido Republicano não fará nada sobre isso. Que infernos somos nós se não conseguimos manter nossas crianças seguras. Isso pode ser prevenido. Nossa inação é uma escolha”, publicou Gavin Newsom, governador democrata da Califórnia, em uma rede social.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001