13 de outubro de 2021 às 08h01m
Crefito-6 realiza atendimento pós-covid gratuito na Praça do Ferreira, em Fortaleza

Tendas foram montadas para atender a população, numa primeira consulta, para tirar dúvidas sobre o tratamento pós-coronavírus

A reabilitação pós-covid já é uma realidade no Brasil e no mundo. Por ser uma doença que afeta o corpo como um todo, principalmente o pulmão, muitos pacientes apresentam sequelas após se recuperarem do quadro, seja grave ou não. E nesta quarta-feira (13), quando é celebrado o dia do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional, o Conselho Regional dessas profissões (Crefito 6) promove um evento ao longo da manhã, na Praça do Ferreira, no centro de Fortaleza, para falar do atendimento pós-covid e outras doenças.

Tendas foram montadas para atender a população, numa primeira consulta, para tirar dúvidas sobre o tratamento pós-coronavírus.

A reabilitação pós-covid envolve um atendimento multissistêmico, ou seja, de diversas áreas, que podem ir desde fisioterapia, que é essencial no tratamento da doença, até a parte psicológica. O acompanhamento especializado pode reduzir as sequelas ou o tempo de recuperação.

A fisioterapia ganhou ainda mais destaque com a pandemia. Esses profissionais são essenciais no acompanhamento e tratamento de muitas doenças, incluindo a Covid-19.

80% dos pacientes que se recuperam da covid-19 têm disfunções cognitivas, diz estudo

As histórias contadas por pacientes que se recuperaram da covid-19 são preocupantes. “Dormi em pé tomando banho”, “meu marido sofreu traumatismo craniano enquanto andava de bicicleta e dormiu”, “lembro-me de fazer o pedido da comida e de pagar por ele, mas não me lembro de ter comido”.

Outro dado alarmante mostra ainda que essas sequelas não acontecem somente em pessoas que sofreram a doença no estágio mais grave. Pacientes que tiveram coriza ou outros sintomas mais leves e até mesmo os assintomáticos também foram diagnosticados com disfunção cognitiva em algum grau.

É o que mostra o estudo inédito no mundo O uso do jogo digital MentalPlus®? para avaliação e reabilitação da função cognitiva após remissão dos sintomas da covid-19, feito no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (InCor) da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), conduzido pela neuropsicóloga Lívia Stocco Sanches Valentin.

Os resultados mostram que a recuperação física nem sempre implica na recuperação cognitiva, diz a pesquisadora, que também é professora da FMUSP. “Isso deixa clara a importância de se incluir na avaliação clínica dos pacientes pós-covid-19 de qualquer gravidade sintomas de problemas cognitivos como sonolência diurna excessiva, fadiga, torpor e lapsos de memória”, explica a médica, “para que, com o diagnóstico precoce, possa haver uma rápida intervenção terapêutica”.


Fonte: gcmais.com.br

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001