13 de outubro de 2021 às 07h56m
Ministra Damares participa de audiência sobre casa de acolhimento, em Crato

Com o objetivo em dialogar sobre as formas de assistência às vítimas e as estratégias de fiscalização, com relação ao fechamento do abrigo particular para mulheres com transtornos mentais, Casa de Acolhimento Feminino Água Viva, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, do Governo Federal, realizou na tarde desta quinta-feira, 07, no auditório do Geopark Araripe, audiência interinstitucional com autores locais e estaduais.

Com o objetivo em dialogar sobre as formas de assistência às vítimas e as estratégias de fiscalização, com relação ao fechamento do abrigo particular para mulheres com transtornos mentais, Casa de Acolhimento Feminino Água Viva, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, do Governo Federal, realizou na tarde desta quinta-feira, 07, no auditório do Geopark Araripe, audiência interinstitucional com autores locais e estaduais.

 

Na ocasião, a titular do referido Ministério, Damares Alves, agradeceu a presença das autoridades, onde ressaltou a importância para que sejam discutidas medidas pertinentes ao assunto, e que o momento foi para se ter um diálogo, um encontro de escuta, e a partir daí, traçar medidas. "A transversalidade desse trabalho é muito importante para a construção e o planejamento de políticas que sejam assertivas", disse.

 

Em sua fala, o prefeito Zé Ailton Brasil destacou que a audiência é um momento onde as problemáticas precisam ser discutidas abertamente, com paciência, serenidade e tranquilidade. "Agradeço à comitiva do Governo Federal em poder participar de um momento tão importante para essa discussão. Precisamos garantir a proteção e os direitos de cada cidadão cratense. O caminho é esse, que é a união de forças", frisou.

 

Para os encaminhamentos, a ministra Damares ofereceu a parceria do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, por meio das Secretarias vinculadas à pasta, para trazer ao município programas voltados para a defesa da mulher e dos direitos humanos.

 

A audiência contou ainda com a presença da Secretária Nacional de Políticas para as Mulheres, Cristiane Britto; da Secretária Nacional de Proteção Global, Mariana Neris, do Coordenador de Atendimento a Violações de Direitos Humanos, Vandervaldo Lima; dos deputados federais Onessio José da Silva, Celina Leão e Dr. Jaziel; do Presidente do Conselho Nacional de Assistência Social, Miguel Oliveira; do Coordenador-Geral de Combate à Tortura e Violência Institucional, João André Alves; do Coordenador de Atendimento a Violações de Direitos Humanos, Vandervaldo Gonçalves; e do Coordenador-Geral de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência, José Naum de Mesquita.

 

Também estavam presentes o Vice-prefeito André Barreto; as secretárias de Desenvolvimento Social e de Saúde, Ticiana Cândido e Marina Feitosa, respectivamente; os secretários adjuntos de Desenvolvimento Social e de Saúde, Hermínio Brasil e Milenna Alencar, respectivamente; o Chefe adjunto do Gabinete, Rondilene Brasil; a Delegada Titular da Delegacia de Defesa da Mulher do Crato, Kamila Brito; e representantes do CRM; CREAS; Ministério Público; Defensoria Pública; OAB; e CAPS.

 

A Prefeitura do Crato, através de suas respectivas pastas, por determinação do Prefeito Zé Ailton Brasil, desde o primeiro momento da denúncia do caso da Casa de Acolhimento, passou a acompanhar às vítimas. Foram encontradas no espaço 34 mulheres em situação de cárcere privado, que foram conduzidas para clínica de tratamento em Juazeiro do Norte e outra parte retornou para suas famílias.


Fonte: Prefeitura do Crato

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001