07 de outubro de 2021 às 13h29m
Porto do Pecém bate segundo recorde consecutivo de movimentação de cargas

Em setembro, foram movimentadas 2,1 milhões de toneladas de cargas. O recorde anterior foi em agosto, quando o porto cearense transportou 2 milhões de toneladas em um único mês

O Porto do Pecém fechou o mês de setembro com movimentação recorde de 2.190.896 toneladas de cargas. Foi o segundo mês consecutivo de recorde. Em agosto, o porto já havia conseguido transportar 2 milhões de toneladas em um único mês. No comparativo com setembro de 2020, a alta é de 77,3%

De acordo com dados divulgados na quarta-feira, 6, pelo Complexo do Pecém, que administra o porto, no acumulado do ano já são mais de 16.012.138 t de cargas transportadas. O que representa um avanço de 38% na comparação com o mesmo período de 2020.

O resultado consolida a expectativa de retomada do crescimento nas movimentações portuárias do terminal cearense neste ano. “A gente estava há tempos tentando atingir essa meta de 2 milhões de toneladas movimentadas num único mês e, conseguir isso por dois meses consecutivos, é um resultado excelente para todo o nosso time", afirma Waldir Sampaio, diretor de Operações do Porto do Pecém.

Ele explica que a meta é finalizar este ano com uma movimentação total de 21 a 22 milhões de toneladas. "È um número bastante expressivo para o Porto do Pecém, que representaria um crescimento de aproximadamente 40% em relação ao resultado alcançado em 2020”, destaca.

Em relação aos dados de 2020, somente os desembarques cresceram 40% (10.846.185 toneladas) entre janeiro e setembro deste ano, enquanto os embarques obtiveram 36% (5.165.954 toneladas) de crescimento.

Avanço em vários setores

Dentre os principais produtos movimentados pelo Porto do Pecém neste ano, os principais destaques, nos desembarques, foram: minérios; combustíveis minerais; ferro fundido; e cereais. Já nos embarques, os destaques ficaram com combustíveis minerais; ferro fundido; sal e produtos da indústria de moagem.

“Foi um crescimento que superou todas as nossas expectativas, até porque tivemos um avanço em vários setores. O setor siderúrgico, por exemplo, teve um movimento muito grande de importação. Os setores de granéis líquidos e de contêineres também fecharam o mês com números muito expressivos. Como trabalhamos com um mix de cargas muito grande, ficamos satisfeitos em ver que vários setores estão crescendo na empresa”, acrescenta Waldir Sampaio.

Para o gerente comercial da Tecer Terminais, empresa que integra o braço operacional do Pecém, Carlos Alberto Alves, os números otimistas exemplificam a capacidade técnica do Complexo portuário no manuseio de diversos tipos de cargas, tanto para importação quanto para exportação.

“O Porto do Pecém, por ser um hub de cargas eólicas, siderúrgicas e de big bags, e ter posição geográfica estratégica, é um elo na cadeia logística do transporte marítimo, viabilizando as soluções em operações portuárias para os maiores fabricantes do mundo. Isso alavanca o desenvolvimento da economia do país”, completa.

Cabotagem cresce 40%

A navegação de cabotagem (entre o Pecém e outros portos do Brasil) totalizou 9.015.577 t no acumulado de 2021, um crescimento de 40% em comparação ao mesmo período de 2020. Já a navegação de longo curso (entre o Pecém e outros portos do mundo) totalizou 6.996.561 t, alta de 36% no comparativo com 2020.

 



Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001