13 de setembro de 2021 às 11h54m
PSD prevê 8 a 10 cadeiras na Alece e 5 na Câmara Federal

O PSD cearense está projetando, para as eleições de 2022, fazer de 8 a 10 deputados estaduais e 5 deputados federais, conforme disse a O Estado o presidente da legenda no Ceará, o ex-vice-governador Domingos Filho.

O partido, nas eleições municipais de 2020, cresceu e se tornou a segunda maior presença nos municípios cearenses, atrás apenas do PDT.

“Isso é nossa meta, e temos candidatos tanto candidato com expressão de voto, puxadores de voto, candidatos com médio voto e candidatos também que são defensores de bandeiras, cuja votação vai depender do desempenho das causas até lá. Causas de agente de saúde, causas da educação, do movimento da negritude, causas LGBT, causas com o movimento de evangélicos, enfim… Causa da agricultura familiar, do movimento cultural, do humor, então são várias bandeiras que temos, vários candidatos com esse viés”, disse ele.

Na Câmara Federal, o PSD hoje só ocupa uma cadeira, com o deputado Domingos Neto, filho do presidente da legenda. Na Assembleia Legislativa do Ceará (Alece), o partido está na mesma posição, representado apenas pela deputada Érika Amorim. Até a última eleição, havia ainda a participação de Patrícia Aguiar, esposa de Domingos Filho, que em 2020 foi eleita para a Prefeitura de Tauá.

O avanço da legenda sobre municípios do interior do Ceará, ao fortalecer o PSD e o grupo político de Domingos Filho, dá a ele também mais condições para barganha por espaço dentro da base do governo, tendo em vista 2022. Ele diz que não tem perspectiva para se candidatar a deputado, garantindo que o PSD estará na chapa majoritária governista. Ainda está em aberto qual exatamente será essa posição, a ser discutida com os principais líderes do grupo até as últimas semanas antes das convenções partidárias.

2020
A última eleição foi vital para o fortalecimento do PSD no Ceará, com o partido tendo vencido em 30 prefeituras cearenses – ampliando em 50% os números alcançados nas eleições municipais anteriores, em 2016 –, além de ter eleito 21 vice-prefeitos e 299 vereadores. Domingos Filho credita esses números à “paixão política” dos filiados. “Eu pessoalmente liberei o processo de animação da base do partido, que fez com que o deputado federal Domingos Neto, Patrícia Aguiar, as lideranças locais e regionais se envolvessem muito com o mesmo propósito de transformar o PSD em um grande partido”, disse ele.

O presidente conta que tinha como objetivo “mostrar que a política está na alma das pessoas, que é necessária para tomar todas as decisões que refletem diretamente na vida do cidadão”. Ainda segundo Domingos Filho, o resultado alcançado também contribui para animar os filiados para a eleição de 2022: “Já temos um número integral de pré-candidatos a deputado federal, estamos fechando o número, e falta pouco para fechar as candidaturas para deputado estadual”, conta, referindo-se à proposta que prevê que o número de candidatos de cada partido deve ser equivalente ao número de cadeiras disputadas em cada casa legislativa. Isso, continua ele, “demonstra um desejo forte de ter lideranças novas, e tradicionais também, que possam formar com nosso partido, que é de centro e por isso também é facilitador para acomodar tendências que não se apegam aos extremos”.

Suplementares
Ao falar sobre as prefeituras conquistadas, o ex-vice-governador também destacou os resultados obtidos nas eleições suplementares que ocorreram em três municípios cearenses no último mês, quando o PSD venceu em uma das cidades, com candidato próprio, e teve um aliado vitorioso em outra. Pedra Branca elegeu Matheus Gois (PSD), enquanto Lorim (PDT) venceu em Missão Velha. A eleição de Martinópole, em que o PSD não participou, terminou com a vitória de James Bel (PP).

“A gente vê muito positivamente, nos três municípios nós só não disputamos em Martinópole, os outros dois tiveram eleições muito acirradas e conseguimos vencer todas as duas com uma margem expressiva de votos. Missão Velha é sempre caracterizada que a maioria das eleições não fecha por mais que 500 votos e conseguimos ganhar com diferença de 1.200. E em Pedra Branca, ganhamos por mais de mil votos. Foi muito marcante nossa participação nas eleições suplementares e ganhamos as duas prefeituras”, comenta.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001