09 de setembro de 2021 às 11h13m
Pelo 2º dia consecutivo, caminhoneiros bolsonaristas bloqueiam estradas em vários estados

Há manifestações confirmadas em rodovias de pelo menos 16 estados. Na maioria dos locais, apenas carros pequenos, veículos de emergência e cargas de alimentos perecíveis estão tendo o trânsito liberado pelos manifestantes.

Pelo segundo dia consecutivo, caminhoneiros que são a favor do governo do presidente Jair Bolsonaro e contra os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) promovem manifestações e bloqueiam rodovias em todo o país na manhã desta quinta-feira (9).

Até as 8h, segundo boletim do Ministério da Infraestrutura com dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF), foram confirmados bloqueios em rodovias de pelo menos 15 estados: SC, RS, PR, ES, MT, GO, BA, MG, TO, RJ, RO, MA, RR, PE e PA. Levantamento do G1 apontou ainda manifestações no estado de São Paulo.

No meio da manhã, algumas rodovias já estavam sendo desbloqueadas. Em São Paulo, as estradas foram liberadas, mas os manifestantes seguem nos acostamentos. No Rio de Janeiro, não há mais registro de protestos nas estradas que cortam o Sul e Costa Verde do Rio. Na MGC-491, em Varginha, Minas Gerais, caminhoneiros também encerraram os protestos. As duas pistas da rodovia Fernão Dias (BR-381) foram totalmente desbloqueadas, mas ainda há trânsito no local.

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, não há mais pontos de interdição de pistas na malha rodoviária federal, salvo protesto pela causa indígena na BR-174/Roraima.

As interdições continuam mesmo após o presidente Jair Bolsonaro gravar um áudio pedindo aos caminhoneiros que liberem as estradas do país. Na gravação, Bolsonaro diz que a ação "atrapalha a economia" e "prejudica todo mundo, em especial, os mais pobres"

Na quarta-feira (8), um dia após os atos antidemocráticos de 7 de Setembro, houve bloqueios em estradas de pelo menos 15 estados: Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Rio de Janeiro, Rondônia, Maranhão, Roraima, São Paulo e Pará.

Caminhoneiros na Esplanada dos Ministérios

Além das manifestações nas rodovias, caminhoneiros também seguem bloqueando vias da Esplanada dos Ministérios, em Brasília: seguem interditadas a N1 e a S1. Os manifestantes viraram a noite na Esplanada. Houve movimentação de viaturas policiais para reforçar a segurança.

A pista, que dá acesso ao Congresso Nacional, ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Palácio do Planalto – além de prédios dos ministérios – foi fechada na noite de domingo (5), para as manifestações de 7 de Setembro. No entanto, um grupo que apoia o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), e defende medidas inconstitucionais, por meio de faixas, cartazes e palavras de ordem, permanece no local.

Locais dos protestos

Em São Paulo, caminhoneiros bloquearam ou interditaram parcialmente ao menos 4 importantes vias nesta quinta (9). Ainda na manhã desta quinta, as estradas haviam sido liberadas, mas os manifestantes seguiam nos acostamentos. As rodovias afetadas foram: Anhanguera, Dutra, Régis Bittencourt e Rodoanel.

No Rio de Janeiro, houve um protesto na Rodovia Washington Luís (BR-040), quilômetro 113, na altura da Refinaria de Duque de Caxias (Reduc), sentido Juiz de Fora. No sentido Rio não houve interdição. O local dá acesso à refinaria e a um ponto de distribuição de combustível para a Região Metropolitana do Rio. Por volta das 8h, os motoristas tinham desocupado a via.

Também houve protesto na BR-465, antiga Rio-São Paulo, na altura do quilômetro 13, entre a Zona Oeste do Rio e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Na quarta-feira (8), houve manifestação na BR-101, altura do quilômetro 75, e os motoristas fizeram bloqueio para impedir a passagem de outros caminhões.

 



Fonte: g1.com

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001