09 de julho de 2021 às 08h42m
Quais os cuidados necessários se for curtir as férias em meio à pandemia

Especialista orienta que locais abertos e arejados são as melhores opções para o período de férias. Espaços como cinemas, restaurantes e museus exigem mais atenção

escolha da barraca foi pensada para evitar ambientes lotados. "Tem sido um oásis, no meio do deserto que estamos vivendo. É uma alegria estar aqui com minha filha e minha esposa. Muita coisa fechada, tem o medo de sair, das aglomerações. Escolhemos este ponto da praia porque é longe da área movimentada", relata.

De acordo com o decreto vigente, publicado no último dia 26 de junho, fica permitido "o acesso às praias, desde que preservado o distanciamento social e evitadas aglomerações". As regras publicadas pelo Governo do Estado também permitem o funcionamento das barracas de praia, desde que exclusivo para a atividade de restaurante.

As barracas possuem, ainda, a obrigação de obedecer às regras de protocolo sanitário previstas para o setor de alimentação fora do lar, além de receberem apenas 50% da capacidade permitida no local. O uso de piscinas e parques aquáticos segue proibido nesses estabelecimentos.

Apesar de todas as restrições e as dificuldades do período pandêmico, há quem opte por viajar e escolher Fortaleza como destino. É o caso da paraense Simone Marques, 44. Vinda de Belém, ela aproveitava a manhã de férias na faixa de areia da Praia do Futuro ao lado do filho. "Estamos na praia, um ambiente aberto, e penso que dá para a gente aproveitar com segurança neste período de pandemia, por ser um local aberto e arejado. Quando estamos em local fechado, sempre usamos máscara", relata Simone.

A turista diz seguir cuidados sanitários, como o uso da máscara, a higienização das mãos e procura evitar aglomerações. Em sua terceira vinda à Fortaleza, ela conta que a experiência não é a mesma. "Não é da mesma forma, porque algumas coisas estão fechadas. Agora mesmo fui informada que a parte da piscina não está funcionando, mas a gente vai adaptando da melhor forma possível."

Em outro ponto da Cidade, há quem tirou a manhã de férias para fazer um passeio de bicicleta por Fortaleza. A estudante de Psicologia Fabiana Maia, 40, tinha planos de pedalar pela trilha do Parque do Cocó com o filho de 6 anos, mas encontrou o local fechado.

Desde o dia 8 de junho, duas trilhas do Parque do Cocó reabriram após 90 dias fechadas por causa de alagamentos e dos decretos de isolamento social. O acesso às trilhas está liberado de terça a domingo, das 5h30min às 17h30min. Uma placa, localizada no acesso disponível pela av. Sebastião de Abreu, informa que o local é fechado todas às segundas por determinação do plano de manejo.

Mesmo com a trilha fechada às segundas, Fabiana contou que tem conseguido desfrutar o local durante os outros dias. "A gente meio que se adaptou a fazer atividades em casa e ao ar livre também. Hoje, infelizmente o Parque está fechado, mas, nas férias, vamos continuar nessa rotina de cuidados até a situação se acalmar mais."

Fabiana disse que evita frequentar ambientes muito movimentados, e, mesmo com as praias liberadas, a família evita frequentar as barracas. "Temos evitado praia, porque vemos que, às vezes, tem aglomeração. Mas já aconteceu de a gente procurar um lugar mais deserto, pra ele [o filho] ir para a areia e poder correr um pouquinho, mas normalmente ficamos perto de casa mesmo. O Parque é muito importante, ficou fechado bastante tempo e fez muita falta", destaca.

Há um ano, o decreto publicado no dia 4 de julho de 2020 vedava o uso de ambientes públicos como praças, parques e praias no Estado. Cinemas também estavam proibidos de serem frequentados durante o período das férias. Entretanto, em 2021, o espaço está liberado para aqueles que desejam assistir a um bom filme durante o momento de lazer.

"Fazia mais de um ano que eu não ia ao cinema. Tinha o costume de ir, pelo menos, uma vez ao mês. Comprei os ingressos antes de ir com meu namorado, quando você escolhe o seu lugar, automaticamente, as cadeiras ao lado são bloqueadas para que outras pessoas não comprem", explicou a comunicadora Leilane Freitas, 28.

A jovem contou que não sentiu nenhuma insegurança dentro da sala de cinema e que os cuidados sanitários estavam sendo adotados na sala de cinema do shopping do bairro Benfica. "Foi tudo tranquilo, nada de lotação. Eles medem a temperatura, pedem para usar álcool em gel antes de entrar na sala. Achei isso muito importante", completa.

Período de férias e os cuidados com a pandemia

Mesmo com a flexibilização das regras de distanciamento social no Ceará, vale lembrar que a pandemia ainda não acabou. A Prefeitura de Fortaleza já alertou que o mês de julho é um período em que o nível de circulação de turistas tende a subir na Capital, o que acaba trazendo visitantes que residem em áreas com níveis de circulação viral maior do que Fortaleza.

O epidemiologista Marcelo Gurgel, professor da Universidade Estadual do Ceará (Uece), aponta que as pessoas devem evitar espaços lotados. "Vai ter mais gente circulando, o que coincide com mais locais abertos, como restaurantes, cinemas e as barracas de praia, tudo isso concorre para que se tenham mais aglomerações. O cuidado é a questão de sempre manter a separação entre as pessoas", diz Gurgel.

Em relação aos restaurantes e até mesmo as barracas de praia, Gurgel relata que um bom exemplo a ser seguido é o modelo adotado na Inglaterra, onde os locais que oferecem refeições fora do lar autorizam que as mesas sejam compartilhadas por pessoas da mesma família, além de disponibilizarem mesas menores e com poucas pessoas.

Segundo o epidemiologista, o uso de máscara é imprescindível. "Quem estiver trabalhando nesses locais precisa estar de máscara, não tem sentido pedir máscara para quem está consumindo, não tem como ficar tirando a máscara toda vez que vai colocar um alimento na boca. Mas, quem for circular ou os que trabalham no local têm de estar sempre de máscara", destaca.

Questionado sobre os cuidados que devem ser adotados em ambientes fechados como cinemas e museus, Gurgel esclarece que os locais precisam dispor de álcool em gel, além da preocupação em manter o distanciamento social e escalonar o horário de funcionamento. Visitas em grupo devem ser evitadas.

Sobre o uso da faixa de areia das praias da Capital e dos parques abertos disponíveis, o epidemiologista ressalta que esse tipo de ambiente é o ideal para quem busca reduzir as chances de contaminação durante as férias. "São ambientes bem mais tranquilos, nesses locais você não confina as pessoas, tem muito mais espaço. O vírus se propaga na falta de etiqueta respiratória. Ficar ao ar livre é o ideal, é saudável, tomando todos os cuidados, é menos provável pegar o vírus nesse tipo de ambiente", finaliza.

Programação online

Além das praias, parques e cinemas, os equipamentos da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult Ceará) estão disponíveis durante o mês de julho. O Theatro José de Alencar e o Centro Dragão do Mar possuem uma programação com foco, especialmente, no público infanto-juvenil.

O Theatro José de Alencar oferece uma alternativa online durante os sábados e domingos deste mês, na qual oficinas com arte-educadores e encontros com Mestres da Cultura visam ofertar uma série de atividades que aliam diversão e aprendizado lúdico acerca dos vários elementos, danças, sons e manifestações que compõem a cultura tradicional popular.

Neste sábado, 10, a partir das 17 horas, será ministrada a “Oficina Abayomi: Encontro precioso”, no YouTube do Dragão do Mar. Uma facilitadora ensinará o público a fazer bonecas de pano com nós em retalhos.

Cuidados sanitários para curtir as férias na pandemia:

> Use máscara e álcool em gel;

> Evite aglomerações e mantenha distanciamento físico entre as pessoas;

> Prefira lugares abertos e arejados; 

> Busque opções online. 

 

 

Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001