31 de maio de 2021 às 09h28m
Reabertura no Sertão e Litoral Leste

O Estado manteve a flexibilização das atividades não essenciais nas macrorregiões de Fortaleza e de Sobral por mais uma semana.

A partir desta segunda a Feira de artesanato da Beira Mar volta a funcionar. Agora as atividades também estão liberadas em outras duas macrorregiões do estado: Litoral Leste/Vale do Jaguaribe e Sertão Central. Já a região do Cariri segue com restrições mais intensas de dias e horários de funcionamento. As determinações valem até o dia 4 de junho.

A decisão foi tomada pelo comitê formado por profissionais de saúde, presidentes do Tribunal de Justiça e Assembleia Legislativa, e representantes do Ministério Público Estadual, Federal e do Trabalho, e a Prefeitura de Fortaleza.
“Vale do Jaguaribe/Litoral Leste e Sertão Central avançam em relação ao decreto vigente, enquanto Fortaleza e Região Norte permanecem na mesma fase de flexibilização. O Cariri demanda maior atenção devido aos altos números, por isso é recomendado que siga com ações restritivas por parte dos prefeitos de cada município que compõem a macrorregião. Percebemos alguma melhora em outras cidades, possivelmente por decisões mais rígidas de alguns prefeitos, conforme a recomendação do decreto anterior. De forma geral, vimos queda no número de casos e óbitos, e a procura assistencial segue estável, mas com números muito altos de internação”, explicou o governador Camilo.


O secretário Dr. Cabeto, diz que em maio houve um registro menor de casos graves da doença. “Novamente tivemos a redução do índice de positividade nos testes, principalmente em Fortaleza, com pouco menos de 29%. Portanto, a razão de transmissão se encontra estável, com tendência de queda, mas os números de pacientes internados em UTIs ainda é muito elevado. Em alerta, a região do Cariri permanece com um nível de positividade muito alto, em 54%. Ou seja, há uma quantidade maior de vírus circulando naquela região, por isso precisamos ter muito cuidado, e contar com o apoio da população. Lembrem-se que não saímos da pandemia, embora a vacinação esteja evoluindo”.


Houve redução da taxa de mortalidade. Segundo a secretaria de Saúde, por conta da qualidade do atendimento, e mais especificamente entre os idosos, após a vacinação o número de óbitos na faixa etária maior de 60 anos caiu. “Se até setembro do ano passado tínhamos um alto percentual de idosos (mortes), hoje temos uma redução da letalidade”, explicou.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001