26 de março de 2021 às 15h24m
Dr. Cabeto: Ceará atinge platô de casos, mas número de atendimentos ainda é grande

Gestor destacou que o Ceará só perde para São Paulo em número de vacinados

Dr. Cabeto, secretário de Saúde do Ceará (Sesa), afirmou que o Estado é o segundo maior em número de pessoas vacinadas, perdendo apenas para São Paulo. Em entrevista ao Grupo Cidade de Comunicação nesta sexta-feira (26), o gestor fez um balanço sobre a campanha de imunização. Confira os principais pontos:

Afrouxamento do isolamento rígido: 

Temos um platô, mas é um platô ainda muito recente, de poucos dias e um platô que ainda tem um número de atendimento muito grande. É bom lembrar que hoje nós temos o pico da pandemia com quase 60% a mais de casos do que tivemos em maio e abril do ano passado. Quer dizer, são números exorbitantes.

Sobre suprimentos e medicamentos de uso no tratamento de Covid-19: 

O Estado do Ceará vem fazendo uma reserva desde agosto do ano passado. Nós já tínhamos atas abertas de licitação e a gente estava preparado para manter os suprimentos por um período mais longo. A gente estimou que teríamos cinco vezes o consumo máximo de abril e maio pelo pico da pandemia e com guarda de até 90 dias. Ou seja, a gente tinha reserva para 90 dias.

Existe projeção de quantidade de pessoas vacinadas?

Bom, até o momento o Estado do Ceará obedece ao plano nacional de imunização. Nós dependemos do encaminhamento de vacinas pelo Ministério da Saúde, produzidas na Fiocruz/Astrazeneca, ou produzida no Butantã/CoronaVac. A maioria das vacinas que estão chegando são CoronaVac, que já conseguiram ampliar a sua capacidade de produção. Quase toda semana eles enviam quase 4% pro Ceará de 1 a 2 milhões [de doses] produzidas por semana. A gente segue esse encaminhamento com base no Ministério da Saúde.

Mensagem à população:

Eu quero dizer que a população pode ficar tranquila, nós estamos zelando pelo bem estar de todo mundo, estamos dialogando com todos os setores. E nós estamos tendo todo cuidado para que a gente preserve todas as vidas que forem possíveis, para que o sistema tenha ampliação adequada para atender todo mundo. Todos têm visto o esforço que o Estado do Ceará tem feito. Mas nós sabemos que se não salvar vidas, a gente não atender as pessoas, essa pandemia também não anda. Então nós estamos sensíveis, estamos montando toda infraestrutura para sair mais rápido disso.


Fonte: gcmais.com.br

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001