28 de janeiro de 2021 às 06h54m
Estado alcança R$ 2,41 bi em importações no ano de 2020

Fortemente impactado pela crise, o comércio exterior cearense dá sinais de recuperação

Segundo o estudo “Ceará em Comex” as importações cearenses apresentaram um desempenho positivo no ano de 2020, registrando US$ 2,41 bilhões, o que corresponde a um crescimento de 2,4% se comparado com o ano anterior. Os dados são da pesquisa elaborada pelo Centro Internacional de Negócios do Ceará (CIN), da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec),
Em 2020, a participação do Ceará na balança comercial do Nordeste foi de 11,5% enquanto na do Brasil ficou em 0,88%. Por outro lado, as importações cearenses representaram nos âmbitos regional e nacional, 16,74% e 1,52%, respectivamente. O desempenho cearense mostra que o estado vem apresentando uma recuperação bem acelerada de sua economia. Diante desse cenário, não faltam motivos para comemorar o Dia do Comércio Exterior, celebrado no dia 28 de janeiro.
De acordo com o CEO da JM Negócios Internacionais, Augusto Fernandes, as expectativas de melhora no quadro da pandemia apontam para retomada. “O mercado está se recuperando. A mudança de governo nos Estados Unidos também contribui para a elevação das expectativas. As empresas estão mais fortalecidas e esperamos que tenham condições de recuperar sua competitividade no mercado internacional”, pontua.

Recorde
As mercadorias transportadas em contêineres somaram o volume de 4.818.581 toneladas no ano passado, o segundo tipo de carga mais movimentada no Porto do Pecém em 2020 – atrás apenas do granel sólido com 7.761.958 toneladas.
A movimentação acumulada de contêineres no ano passado registrou a marca de 377.726 TEU´s (228.362 unidades), crescimento de 11% em relação ao resultado obtido em 2019, quando foram movimentados 339.742 TEU´s (212.863 unidades). Somente no mês de outubro de 2020 foram movimentados 46.002 TEU´s – o melhor resultado obtido num único mês. O melhor resultado mensal de contêineres havia sido registrado, até então, em setembro de 2020 com 39.207 TEU´s.
Em 2020, o Ceará ficou na 14ª posição entre os estados brasileiros que mais exportaram. Sendo o terceiro maior exportador do Nordeste, atrás da Bahia (US$ 7,826 bilhões) e do Maranhão (US$ 3,365 bilhões).

Fortaleza
Em relação a exportações, Fortaleza aparece em terceiro lugar no ranking dos municípios exportadores do Ceará no ano de 2020 e é responsável por 6,9% do total vendido pelo estado para o exterior. A capital exportou o equivalente a US$ 128 milhões em produtos, o que corresponde a uma queda de 18,9% se comparado com o resultado do ano anterior. Foram 116 empresas exportadoras em Fortaleza.
No que se refere às importações, Fortaleza foi o principal município exportador do estado com participação de 34,7% do total vendido pelo Ceará para o exterior. As compras internacionais no valor de US$ 838,4 milhões correspondem a um crescimento de 8,5% no ano de 2020. No total, 300 empresas de Fortaleza realizaram operações de importação.

Exportações
Apesar da diminuição de 26,8%, o grupo “Cocos, castanha do Brasil e castanha de caju, frescos ou secos, mesmo sem casca ou pelados” corresponde aos produtos mais exportados por Fortaleza e atingiram o montante de US$ 35,4 milhões. Os países que mais compraram esses produtos foram Estados Unidos, Alemanha e Itália.
Em segundo lugar, o grupo dos crustáceos correspondem a US$ 18,9 milhões em exportações e retração de 11,4% de vendas para o exterior. Os principais países importadores dessa categoria foram Estados Unidos, Austrália e China.
Com redução em quase 50% do total vendido no ano anterior, o grupo “Óleos de petróleo ou de minerais betuminosos” realizou exportações que somaram US$ 17,3 milhões. Os principais países de destino foram Portugal, Holanda e França. Já os produtos do grupo “Farinhas de trigo ou de mistura de trigo com centeio” cresceram 5781,9% em 2020 e acumularam o valor de US$ 7,43 milhões em exportações com destino para a Venezuela, prioritariamente.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001