04 de janeiro de 2021 às 10h43m
Confira dicas para se prevenir contra golpes no WhatsApp

App de mensagens pode ser usado para contatos profissionais, com amigos e familiares, mas também tem riscos de fraudes; saiba como se proteger dos perigos

Com mais de 2 bilhões de usuários no mundo inteiro, o WhatsApp é uma das ferramentas de mensagens mais presentes atualmente - estando presente em 99% dos smartphones brasileiros. Com tamanha popularidade, no entanto, criminosos se aproveitam do aplicativo para praticar golpes que envolvem desde espalhar notícias falsas até roubo de dados.

Para ajudar na prevenção contra fraudes digitais, O POVO listou algumas das maneiras mais frequentes que golpistas se utilizam para atuar pelo aplicativo. Confira abaixo como se proteger.

Como se proteger de links suspeitos no WhatsApp

Uma das maneiras mais comuns de golpes pelo WhastApp é o compartilhamento de links suspeitos. Os pretextos são vários: desde oferecer produtos grátis até falsos auxílios do governo.

Para não cair neste tipo de fraude, o mais recomendado é sempre checar se o link compartilhado é confiável. Sites do governo, por exemplo, sempre terminam em .gov.br, enquanto empresas não costumam oferecer produtos gratuitos em promoções online.

Um ponto em comum destes golpes é que eles geralmente exigem o compartilhamento do link com contatos do WhatsApp para "completar o cadastro". Como nem o próprio aplicativo tem acesso ao conteúdo das mensagens, seria impossível que sites externos também verificassem se houve de fato o compartilhamento, então o intuito neste caso é fazer com que a fraude atinja o máximo possível de pessoas.

Nestes casos, os criminosos geralmente buscam realizar roubo de dados, que podem ser usados, por exemplo, para solicitar cartões de crédito ou assinar serviços pagos no nome das vítimas. Isso pode levar a dívidas de milhares de reais que a pessoa sequer sabia que existiam, e só são descobertas após a inclusão em serviços de proteção ao crédito.

Como se proteger da clonagem de contas do WhatsApp

Outro golpe muito frequente - entre janeiro e agosto de 2020, foram mais de 3 milhões de vítimas somente no Brasil - é a clonagem de contas no WhatsApp. Neste caso, os criminosos entram em contato por ligação ou algum outro meio, solicitando que seja informado um código de seis dígitos enviado para o celular. Entre os motivos, podem estar falsas promoções que a vítima teria ganhado, ou confirmação de dados em sites de comércio eletrônico. Até mesmo o Ministério da Saúde já foi usado como pretexto para adquirir as informações.

Este código é, na verdade, o solicitado pelo WhatsApp para ativar a conta em um novo celular, e nunca deve ser informado a ninguém. Caso a vítima forneça os dígitos aos criminosos, seu número será clonado, e os golpistas terão acesso a conversas em grupos, além de receber mensagens que seriam enviadas à pessoa. Neste caso, os fraudadores geralmente entram em contato com as pessoas nestas conversas e solicitam dinheiro, se passando pela vítima, informando alguma emergência e prometendo devolver os valores em breve.

Para evitar cair neste tipo de golpe, é importante nunca informar a ninguém códigos que sejam enviados para o seu celular. Estes números, chamados de autenticação em dois fatores, são usados para garantir que somente o usuário tenha acesso ao próprio cadastro serviços online. Se você receber uma mensagem do WhatsApp solicitando estes números sem estar transferindo sua conta para outro celular naquele momento, significa que golpistas estão tentando clonar sua conta no aplicativo. Caso os números sejam enviados por outro serviço, é importante trocar a senha, pois ela pode ter sido vazada.

Como se proteger de fake news no WhatsApp

Embora não se trate propriamente de um golpe, as notícias falsas podem ter efeitos desastrosos. Em tempos de pandemia, elas já foram usadas para desacreditar vacinas, mentir sobre suposto retorno ao lockdown e espalhar desinformações sobre remédios sem eficácia contra o coronavírus. Muitas vezes, elas são usadas também com fins eleitorais, com disparos em massa na época de campanha.

Para se proteger das notícias falsas, a dica é sempre checar se as informações alegadas estão em veículos de credibilidade, como jornais confiáveis e portais de notícias. O próprio WhatsApp disponibilizou, em outubro, uma ferramenta para conferir a veracidade de conteúdos que são espalhadas com frequência no aplicativo, com o ícone de uma lupa ao lado da mensagem.

Como se proteger de contas falsas no WhatsApp

Ainda que seja menos comum, a criação de contas falsas no aplicativo também é um risco real. Para isso, o criminoso precisa ter acesso aos dados da vítima, como nome, foto de perfil no WhatsApp e contatos de pessoas conhecidas. Com essas informações, é criada uma nova conta do WhatsApp, se passando pela pessoa, e a partir disso o golpe segue a mesma linha da clonagem de número: solicitar dinheiro emprestado, com a promessa de devolução, que nunca ocorre.

Para evitar essa situação, é possível, nas configurações do WhatsApp, permitir que apenas pessoas que o usuário tenha adicionado como contatos vejam a sua foto de perfil. Basta ir em "Configurações > Conta > Privacidade", onde é possível alterar quem pode visualizar sua foto de perfil, seus status, o "sobre" e quando você acessou o aplicativo pela última vez.

Caso você receba mensagens de alguém supostamente conhecido solicitando dinheiro, a recomendação é ligar para a pessoa e confirmar se ela realmente enviou a mensagem. Como existe a possibilidade do número ter sido clonado, peça informações que somente a pessoa saberia responder, sem repassar dados pessoais.


Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001