25 de novembro de 2020 às 15h40m
Morre Diego Maradona, ídolo argentino e um dos maiores nomes do futebol mundial

O ídolo do futebol argentino tinha 60 anos de idade e se recuperava de uma cirurgia que havia feito no cérebro

O ex-jogador Diego Maradona morreu nesta quarta-feira, 25, após sofrer uma parada cardiorrespiratória na residência onde vivia em Tigre, Argentina, de acordo com informações do jornal Clarin. O ídolo do futebol argentino tinha 60 anos de idade e se recuperava de uma cirurgia que havia feito no cérebro, para a retirada de um coágulo. Em resposta a sua morte, o governo argentino decretou três dias de luto no país.

Segundo reportagem, Maradona sofreu a parada cardiorrespiratória por volta de meio-dia desta quarta. No momento em que o fato aconteceu, médicos foram chamados e tentaram reanimar o craque, mas as tentativas não obtiveram sucesso e ele veio a falecer no local.

"E um dia aconteceu. Um dia o inevitável aconteceu. É um tapa emocional e nacional. Um golpe que reverbera em todas as latitudes. Um impacto mundial. Uma notícia que marca uma dobradiça na história. A frase que foi escrita várias vezes mas que foi driblada pelo destino agora faz parte da triste realidade: Diego Armando Maradona morreu", lamentou o veículo argentino.

Maradona havia passado por uma cirurgia de emergência no inicio deste mês, cerca de três semanas após ter completado 60 anos. Na ocasião, o ex-atleta precisou retirar um "hematoma subdural", que é um coágulo de sangue no cérebro.

Depois da cirurgia, Diego ainda precisou ficar mantido na clínica por ter sofrido "episódios de confusão" devido a uma "abstinência forçada". Representantes do argentino não informaram do que ele estaria se abstendo, mas o craque ficou conhecido por travar batalhas contra o vicio em álcool e em drogas.

Carreira

Canhoto de 1,65m, o craque argentino brilhou durante os 22 anos de carreira em campo. Iniciou jogando no Argentinos Juniors, depois passou por Boca Juniors, Barcelona, Napoli, Sevilla, Newell's Old Boys e encerrou a carreira no Boca Juniors.

Na seleção argentina de futebol, jogou 91 partidas e conquistou a Copa do Mundo de 1986, sendo eternizado por gols e polêmicas. Dentre os inúmeros prêmios e menções, foi indicado por Pelé, em 2004, como um dos cem melhores jogadores da história do futebol, em honraria chancelada pela Fifa.


Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001