27 de outubro de 2020 às 06h46m
Aulas presenciais do 3° ao 8° ano do ensino fundamental devem retornar em 3 de novembro, informa Sindicato

Funcionários das escolas privadas devem começar a ser testados nesta terça-feira, 27, para o retorno na próxima semana

As aulas presenciais para alunos do 3° ao 8° ano do ensino fundamental em escolas particulares devem retornar em 3 de novembro na Região de Saúde de Fortaleza. A informação foi divulgada pelo Sindicato de Educação da Livre Iniciativa do Ceará (Sinepe-CE) nesta segunda-feira, 26. A entidade também informou que serão testados, a partir desta terça-feira, 27, cerca de 3 mil colaboradores da rede de ensino particular.

A testagem em massa acontece após o Governo do Estado autorizar, no último Decreto Estadual, o retorno presencial das turmas do 3° ao 8° ano do ensino fundamental na Região de Saúde de Fortaleza, que compreende a Capital e mais 42 cidades cearenses.

Conforme explica Andréa Nogueira, a presidente do Sinepe, as turmas iniciarão com a capacidade máxima estabelecida de 35%, conforme prevê o decreto governamental do último domingo, 25, e que vale a partir de 1º de novembro. "A gente tem expectativa de terminar o ano letivo com os alunos do 1º e 2º ano do ensino médio retomando. Mesmo que seja no final do ano, a participação, a interação com a escola e outros estudantes é importante. A próxima etapa também deve incluir o ensino superior", projeta.

Para ela, o ano de 2020 foi difícil para as escolas e alunos, mas é positiva a avaliação do uso das ferramentas para manter o ensino remoto. A missão para 2021, de acordo com Andréa, é avaliar alunos e analisar onde será preciso atuar para reparar os danos causados pelo ensino não presencial.

"Da mesma forma que a escola cumpriu os protocolos e tivemos sucesso muito grande, tendo em vista que o índice de ocorrência de novos casos foi muito baixo, teremos compromisso na avaliação diagnóstica e estratégias pedagógicas de recuperação dos nossos alunos", anseia.

Mesmo com a liberação de todo o ensino fundamental para os 43 municípios que integram a Região de Saúde de Fortaleza, nenhum prefeito demonstrou interesse em reabrir as escolas este ano. Entre os motivos estão o investimento no ensino remoto, a proximidade do fim do calendário letivo de 2020 e o período eleitoral. No último mês, o prefeito da Capital cearense já havia descartado a possibilidade.

Na rede estadual, a Secretaria da Educação do Estado (Seduc) continua em diálogo com a comunidade escolar e vistoriando as unidades escolares para identificar se estão aptas para a reabertura e a necessidade de intervenção.

Preparação das escolas particulares

Para Matheus Leitão, diretor executivo do Colégio Master, em Fortaleza, a instituição deve retornar com as novas etapas de ensino liberadas a partir do dia 3 de novembro. Os próximos dias, segundo ele, serão para que os pais se organizem e que a escola prepare o rodízio das turmas e os horários dos professores, além da testagem dos funcionários da escola.

Apesar de ainda não quantificar o aluno que deve voltar às cadeiras escolares, Matheus diz que a expectativa de estudantes e responsáveis pela retomada educacional de forma híbrida é crescente. "A confiança dos pais que estamos adquirindo reforça que a gente tem seguido bem os protocolos e que as crianças têm respondido de forma muito satisfatória.", explica.

O diretor do 7 de Setembro, Henrique Soárez, analisa que os pais não devem demorar para enviar os filhos de volta às salas de aulas. Isso porque nas duas vezes que o governador Camilo Santana liberou, a movimentação dos estudantes acentuou-se ao longo das semanas seguintes.

O representante destaca que o retorno das turmas de 3º ao 8º ano estava previsto para uma semana e meia atrás. Com o atraso, a expectativa é de que a autorização das turmas da 1ª e 2ª série do Médio e Superior ocorra em uma semana.

 

Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001