11 de setembro de 2020 às 08h21m
PDT anuncia que José Sarto será o candidato na Capital

O PDT definiu que o deputado estadual José Sarto, presidente da Assembleia Legislativa do Ceará (Alece), será o candidato do partido na eleição municipal deste ano em Fortaleza.

O nome foi anunciado na noite de ontem (10), em transmissão ao vivo pela internet apresentada pelo prefeito Roberto Cláudio (PDT) e com presença de outras lideranças do partido. Para o posto de candidato a vice-prefeito, foi escolhido o ex-secretário Élcio Batista (PSB).


Sarto integrava um grupo de cinco pré-candidatos elencados pelo partido como possíveis postulantes avaliados para representar a base governista na Capital, incluindo ainda o deputado estadual Salmito Filho, o deputado federal Idilvan Alencar e os ex-secretários Ferruccio Feitosa e Samuel Dias. Além dos cinco pedetistas, eram avaliadas candidaturas de nomes de outros partidos da base aliada, como no caso de Alexandre Pereira (Cidadania) e do próprio Élcio Batista, que acabou sendo encaixado na chapa como vice.
“Coloco meu nome à disposição desse povo que sempre me acolheu tão bem, a quem venho dedicando meus mais de 30 anos de vida pública.

Quero ser prefeito para preservar tudo o que conquistamos nos últimos anos, com a gestão do Roberto Cláudio, e para continuar avançando, melhorando onde podemos melhorar”, escreveu o pré-candidato escolhido pelo PDT em suas redes sociais após o anúncio. Durante o vídeo do PDT em que seu nome foi anunciado, ele destacou ainda que está “dando um passo num sonho muito antigo, o sonho de liderar Fortaleza”. “Tenho certeza que é um desafio gigante entregar Fortaleza melhor do que a que o prefeito Roberto Cláudio nos entrega, mas sou sonhador”, disse, ainda.


José Sarto, além de presidir a Assembleia, é político de longa data e também já comandou a Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor), estando atualmente no seu sétimo mandato na Assembleia. Trata-se talvez do nome mais próximo dos Ferreira Gomes entre os cinco pedetistas elencados pelo partido para possivelmente liderar a chapa. Ele será oficializado como nome da chapa governista na convenção do PDT, marcada para acontecer na manhã deste sábado (12).


Após o anúncio, o deputado Idilvan Alencar, um dos cinco pré-candidatos do PDT junto de Sarto, publicou que “foi uma honra participar desse processo, debater os problemas da cidade e ser reconhecido pelo trabalho como parlamentar em defesa da educação e da boa gestão pública”, em referência aos debates na internet realizados pelo partido entre os cinco possíveis nomes elencados. “Agradeço também àqueles que pediram para eu permanecer na Câmara dos Deputados representando os educadores não só do Ceará, mas também do Brasil. Sigo, agora, ainda mais firme nesse propósito”, completou.


PT
Com a escolha de José Sarto para representar o projeto do PDT – ou seja, um nome de dentro do próprio partido –, encerram oficialmente as tratativas com o PT de Luizianne Lins e Camilo Santana para entrar na disputa com uma chapa única. As conversas ocorriam em torno da possibilidade de Luizianne, que já foi definida internamente no PT como pré-candidata à Prefeitura de Fortaleza, desistir da candidatura para abrir espaço a outro nome petista, de modo a unir as duas siglas. O nome, nesse caso, seria provavelmente o do ex-secretário Nelson Martins, ligado a Camilo Santana e portanto com potencial para convergir os interesses do PT e do PDT em uma mesma chapa.


Chegou a se formar uma iniciativa por parte de aliados mais adeptos dessa ideia para tentar pressionar os agentes políticos para que isso se concretizasse, a Carta Aberta aos Democratas e Progressistas de Fortaleza, alavancada pelo deputado estadual Acrísio Sena (PT). Os apoiadores, incluindo o próprio parlamentar, argumentavam que é necessário um esforço amplo das forças progressistas e de centro-esquerda contra a chapa de Capitão Wagner (Pros), que até o momento chega com mais força.


A parceria, no entanto, esbarrava, entre outros pontos, em uma desconfiança histórica da ex-prefeita com relação aos Ferreira Gomes e em uma postura de rejeição ao PT encabeçada pelo ex-governador Ciro Gomes, tido como principal nome do PDT hoje nacionalmente, desde a eleição presidencial de 2018.


Como resultado, o PT deve oficializar a candidatura de Luizianne, como já planejado. A convenção do partido, antes marcada para o próximo domingo (13), foi adiada para o último dia disponível para as legendas homologarem as candidaturas, quarta-feira (16). A executiva da sigla em Fortaleza pontuou que o adiamento ocorreu para avaliar o formato a ser realizada a convenção, que deve ser feita de modo misto (ao mesmo tempo presencial e virtual).


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001