05 de setembro de 2020 às 18h07m
Cerca de 60% dos adultos têm nódulos de tireoide

Os dados brasileiros se assemelham à literatura internacional e apontam que 60% dos adultos têm um ou mais nódulos de tireoide e 5% desses são malignos

Para a endocrinologista Dra. Lorena Lima Amato a incidência não está aumentando, é o diagnóstico que está mais preciso devido aos exames e tecnologia avançados na área da Endocrinologia. 

Outro estudo mostra que entre os nódulos encontrados nesses 60% de adultos apenas 1% é palpável, sendo que o restante – 59% – só podem ser localizados com exames como a ultrassonografia de tireoide.

Punção e malignidade – A Dra. Lorena explica que, além do tamanho, existem características específicas que só podem ser vistas por ultrassonografia e que indicam se ele deve ser puncionado ou não. Em geral, nódulos maiores que 1 cm devem ser puncionados para avaliar se há risco de malignidade.

“O nódulo não se torna maligno, ele já surge com as características de malignidade. Caso tenhamos um nódulo inicialmente diagnosticado como benigno, há 5% de chance de tratar-se de um falso negativo, e com o seguimento percebermos que o nódulo tinha natureza maligna, por isso, mesmo nódulo benignos devem continuar sendo acompanhados”, enfatiza a especialista. A médica endocrinologista também comenta que em nódulos muito grandes há o risco maior de ocorrer o que se chama de falso negativo: o resultado da punção mostrar que é benigno quando, na verdade, é maligno.

Existem indicações precisas para cirurgia, e mesmo os nódulos benignos, em geral, quando maiores que 4 centímetros, devem ser abordados cirurgicamente.

Diagnóstico Precoce – Já é possível passar por consulta com endocrinologista, realizar os exames indicados pelo especialista e até mesmo fazer punção e radioabalação dos nódulos tireoidianos (intervenção minimamente invasiva, que pode ser feita em nódulos funcionantes, mas que estão com tamanho aumentado) em um único dia, o que possibilita um diagnóstico precoce e agilidade nas atitudes necessárias para uma rápida intervenção. “É uma tendência, tendo em vista que as pessoas têm uma vida dinâmica e, muitas vezes, vão ao médico, mas esquecem ou desistem de agendar exames por causa da falta de tempo”, conta Dra. Lorena, que é uma das diretoras do Centro Integrado de Tireoide e Paratireoide.

Para os casos de diagnóstico de câncer, o Centro Integrado de Tireoide e Paratireoide, localizado no Instituto de Medicina Avançada Amato Hospital Dia, encaminha a cirurgia para ser realizada em outros hospitais, por serem necessários mais dias de internação.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001