11 de julho de 2020 às 08h51m
"PT precisa se reinventar e abrir diálogo com outros segmentos", diz Camilo

Em live com editor da revista Isto É, pelas redes sociais, o governador defendeu a união entre os partidos de esquerda e a aproximação com o centro político no Congresso Nacional.

O governador Camilo Santana defendeu nesta sexta-feira, 10, durante live nas redes sociais a revista Isto É, o diálogos entre PT e PDT, ambos aliados no governo cearense, na política nacional. O governador ressaltou que a união torna-se necessária diante da polarização da política no Brasil e das crises do governo Jair Bolsonaro (sem partido).

Em resposta ao jornalista Germano Oliveira, editor da revista Isto É, o governador cearense defendeu a abertura de diálogo entre partidos de esquerda e centro-esquerda como medida de reforço da democracia. “Tem que convocar e dialogar com todos os setores, centro-esquerda e progressistas que construam um projeto que possa garantir o respeito à democracia” afirmou.

Perguntado sobre possíveis mudanças no PT, Camilo reforçou a necessidade de mais diálogo do partido para que possa “ampliar sua política no Brasil”. “O PT precisa se reinventar, reciclar, e abrir diálogo com outros segmentos. É preciso espaço para que o partido possa dar outros passos” afirmou.

Ele também defendeu que a legenda precisa “reconhecer e fazer suas autocríticas” e considerou a prática “parte da vida pública” e natural para todo partido. Não só o PT, mas muitos partidos erraram nesse país, PT, PSDB. Quem chega ao poder está passível de cometer erros e para mim não é problema algum fazer autocrítica, disse.

Sobre as desavenças entre Ciro Gomes e o ex-presidente Lula e o desafio de unir PT e PDT no Ceará, o governador afirmou que “ambos precisam dialogar”. “Precisamos deixar as mágoas de lado e pensar no futuro do país. O Ciro é um cara com inteligência fora do comum e o ex-presidente Lula foi um dos maiores presidentes que o Brasil já teve, a gente precisa quebrar isso, não só eles dois mas com todos os segmentos” avaliou.

Em Fortaleza, a aliança entre os partidos ainda é uma incógnita, principalmente, depois da confirmação da pré-candidatura da deputada federal Luizianne Lins para disputar a prefeitura da capital. Isto porque a parlamentar, que ainda busca diálogo com o governo, demonstra-se contra uma possível aliança com o PDT, visto a possibilidade do partido não ter candidatura própria para prefeito.

Camilo também comentou sobre a criação do Conselho dos Governadores do Ceará, cujo projeto começou a tramitar nesta quinta-feira, 9, na Assembleia Legislativa. “Às vezes o governador passa e ninguém reconhece, então acima de qualquer questão ideológica estamos criando uma decisão pioneira no Brasil. Vai funcionar sem remuneração e com reuniões duas vezes ao ano” disse.


Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001