16 de junho de 2020 às 18h35m
UFC lança edital para inclusão digital emergencial de estudantes; veja como se inscrever

Medida faz parte do plano de aulas remotas apresentado pela Universidade Federal do Ceará (UFC) durante pandemia de coronavírus. Serão entregues seis mil chips para estudantes dos campi do Ceará a fim de garantir acesso remoto

A Universidade Federal do Ceará (UFC) publicou nessa segunda-feira, 15, o edital para Inclusão Digital Emergencial da Proposta Pedagógica de Emergência (PPE) elaborada pela instituição. Nela, a UFC traz alternativas para a reposição das aulas afetadas pela Covid-19 e inclui medidas como o treinamento de docentes sobre construção de disciplinas remotas e a aplicação de 13 mil testes rápidos de Covid-19 na comunidade universitária.

A medida de Inclusão Digital aparece como forma de diminuir a exclusão de estudantes que não têm acesso à internet nesse período. Serão distribuídos seis mil chips nos campi de Fortaleza, Crateús, Quixadá, Russas e Sobral. As inscrições para a Inclusão Digital Emergencial ocorrerão de 15 a 21 de junho de 2020 (até as 23h59min).

Para participar do processo seletivo, o estudante deverá preencher o formulário virtual por meio do link. O documento também ficará disponível, até a data final de inscrições, no Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmica (SIGAA).

De acordo com a universidade, a medida tem caráter excepcional e emergencial e surge da "necessidade de conclusão do semestre letivo 2020.1". Objetivo é garantir o acesso contínuo de estudantes de cursos presenciais da graduação em situação de vulnerabilidade socioeconômica aos conteúdos acadêmicos que serão disponibilizados remotamente. Os estudantes matriculados em disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso serão priorizados na seleção.

No entanto, a instituição ressaltou no edital que "a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) não se responsabilizará por problemas de ordem técnica dos computadores utilizados pelos usuários, por falhas na comunicação, por congestionamento de linhas de comunicação ou por outros fatores adversos que impossibilitem a transferência de dados."

Leia Mais | UFC não tem planejamento para atividades presenciais em 2020

Detalhes sobre a Inclusão Digital Emergencial

A ação de Inclusão Digital será executada mediante o fornecimento de chip com plano mensal de dados móveis (3G/4G) de 20GB, por um período de 6 (seis) meses, de julho a dezembro de 2020.

Serão disponibilizados 6.000 (seis mil) chips, distribuídos entre os campi de Fortaleza e do Interior (Crateús, Quixadá, Russas e Sobral), de acordo com o percentual de estudantes beneficiários:

Fortaleza: 4700
Crateús: 180
Quixadá: 360
Russas: 270
Sobral: 440

Estudante precisa atender aos seguintes requisitos:

Estar regularmente matriculado em curso presencial de graduação em qualquer dos campi da UFC (Fortaleza, Crateús, Quixadá, Russas e Sobral);

Não possuir acesso à internet nem plano mensal de dados móveis (3G/4G) com capacidade superior a 15 GB.

Encontrar-se em 1 (uma) das condições abaixo:

Receber ou ter recebido, em 2020, qualquer dos benefícios oferecidos pela PRAE ou pelas Coordenações de Assistência Estudantil dos Campi do Interior, isto é, Auxílio Alimentação Emergencial, Auxílio Creche, Auxílio Emergencial, Auxílio Moradia, Auxílio Residente, Bolsa de Iniciação Acadêmica, Bolsa de Incentivo ao Desporto e Isenção da Taxa do Restaurante Universitário;

Não ter sido deferido nos processos seletivos de 2020 do Auxílio Alimentação Emergencial, Auxílio Emergencial, Auxílio Moradia, Bolsa de Incentivo ao Desporto (Cadastro de Reservas) e Bolsa de Iniciação Acadêmica (Cadastro de Reservas) por insuficiência de vagas;

Não ter sido beneficiário da PRAE em 2020, mas se declarar vulnerável mediante comprovação de inscrição no Cadastro Único do Governo Federal.

Inclusão Digital Emergencial: como se inscrever 

As inscrições para a Inclusão Digital Emergencial ocorrerão de 15 a 21 de junho de 2020 (até as 23h59min). Para participar do processo seletivo, o estudante deverá preencher o formulário virtual por meio do link.

O formulário também ficará disponível, até a data final de inscrições, no Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmica (SIGAA).

Conforme documento, a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) não se responsabilizará por problemas de ordem técnica dos computadores utilizados pelos usuários, por falhas na comunicação, por congestionamento de linhas de comunicação ou por outros fatores adversos que impossibilitem a transferência de dados. Também não será aceita pré-inscrição efetuada fora do prazo, nem em desacordo com o edital.

Os resultados serão divulgados nos sites da Prae e dos Campi do Interior no dia 26 de junho de 2020.

Inclusão Digital Emergencial: como os chips serão distribuídos

A distribuição dos chips aos estudantes deferidos será realizada em cada campus e em local a ser definido após o resultado. O chip será entregue exclusivamente ao estudante deferido no processo, mediante apresentação de documento de identidade com foto.

Segundo UFC, a distribuição dos chips obedecerá rigorosamente aos protocolos sanitários de proteção contra o novo coronavírus. Estudante deverá usar máscara de proteção e caneta própria na hora de buscar ferramenta.

Os estudantes dos Campi de Fortaleza que morem fora da Região Metropolitana poderão receber os chips pelo correio no endereço informado no formulário de inscrição.

O aluno perderá o acesso ao chip em casos de trancamento total das disciplinas, conclusão de curso, cancelamento de matrícula ou outros motivos que tornem seu vínculo inativo no período de vigência do chip.

O POVO entrou em contato com a assessoria de comunicação da UFC no fim da manhã desta terça e requisitou uma entrevista com um responsável pela elaboração da medida de Inclusão Digital. A assessoria confirmou a entrevista, no entanto, depois pediu mais detalhes e a reportagem mandou alguns questionamentos via e-mail. Somente no fim desta tarde, a assessoria retornou e se limitou a responder aos questionamentos da reportagem - que seguem abaixo -, sem disponibilizar uma fonte para a entrevista. 

O POVO - Como a UFC chegou ao número de 6 mil chips?
UFC - Na pesquisa realizada sobre a situação dos estudantes da UFC na pandemia, houve participação de 33% dos alunos da UFC (o que significa mais de 10 mil alunos, uma amostra importante em termos estatísticos). Nessa pesquisa, 12% responderam que tinham pacote de Internet igual ou abaixo de 15gb. A partir desse número, a UFC decidiu ampliar a oferta de chips para 20% dos estudantes da Universidade. Importante ressaltar que 51 % dos respondentes à pesquisa declararam que entraram na UFC por meio de cota, o que demonstra um recorte do perfil socioeconômico do aluno fidedigno.

OP - A PRAE disse que não vai se responsabilizar por problemas de ordem técnica dos computadores dos usuários. Como um plano que pretende ser inclusivo se isenta dessa forma?
UFC - A informação à qual a pergunta se refere consta no Art. 9º do edital, que está relacionada especificamente ao item DAS INSCRIÇÕES. Itens como esse são praxe em editais. https://sisu.ufc.br/wp-content/uploads/2018/02/edital-005-2018-chamada-de-lista-de-espera-sisu-2018.pdf

OP- No caso de estudantes que não têm instrumentos necessários para as aulas, vão ficar para trás? Como a universidade pretende equalizar isso? As inscrições serão feitas por formulário: mas no caso de pessoas que estão sem acesso até para isso, como fica?

UFC- Antes de tudo, é importante lembrar que esta não é a primeira vez que procedimentos de seleção na UFC são feitos pela Internet. A totalidade das inscrições, matrículas e outros tipos de processo na Universidade são realizados de forma totalmente virtual, por formulário eletrônico, com poucas ou nenhuma etapa presencial. A cultura on-line, portanto, já é uma realidade na UFC há bastante tempo, e não há novidade no modo como a UFC está promovendo as inscrições neste caso. Em outra frente de atuação, a UFC está buscando divulgar o Plano de Inclusão Digital em canais off-line, como veículos de imprensa, emissoras de rádio e televisão, dentre outros meios, ampliando também a interlocução junto aos campi do Interior, de modo a fazer com que a informação chegue a todos os estudantes.

Além de distribuir pacotes de Internet para viabilizar o acompanhamento das atividades, a UFC adquiriu 400 computadores, que serão distribuídos entre bibliotecas, residências universitárias, laboratórios e salas de estudo da Capital e do Interior, a serem utilizados pelos estudantes tão logo as atividades presenciais sejam autorizadas.

A Universidade lembra, ainda, que a pesquisa realizada junto à comunidade estudantil revelou que quase a totalidade dos estudantes da UFC tem encontrado meios de navegar na Internet, embora as condições de acesso sejam muito variadas. Daí a importância do Plano de Inclusão Digital, que visa melhorar tais condições àqueles que encontram dificuldades atualmente.

Um exemplo a ser ressaltado: grande parte dos estudantes em situação de vulnerabilidade social da UFC possui Bolsa de Iniciação Acadêmica, modalidade de bolsa que tem a renda como principal critério de seleção. No último seminário promovido pela PRAE com esses bolsistas, que ocorreu de forma on-line nos dias 28, 29 e 30 de abril , participaram 1.300 dos 1.400 estudantes. De acordo com a PRAE, possivelmente, a ausência de apenas 100 bolsistas no evento on-line pode ter sido motivada por outros fatores, como o fato de alguns já terem participado em outras edições.

Veja como se inscrever

>> Confira aqui edital completo

LEIA TAMBÉM | Estudantes de Comunicação da UFC se mobilizam contra proposta de aulas remotas e pedem suspensão do semestre letivo


Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001