27 de maio de 2020 às 10h07m
Dia Nacional de Combate ao Glaucoma reforça importância de diagnóstico precoce

Oftamologistas destacam atitudes que evitam o agravamento da doença e onde buscar tratamento

Em todo o Brasil, estima-se que cerca de 3% da população tenha glaucoma, de acordo com informações da Organização Mundial da Saúde (OMS). Atualmente, a doença é a segunda causa de cegueira mundial, ficando atrás apenas da catarata. As projeções realizadas pela instituição alertam ainda que o número de pessoas afetadas pelo problema deve ser de 80 milhões até o fim deste ano no Brasil. No Ceará, não há uma estimativa do impacto da doença. Nesta terça-feira, 26, é o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma.

A vice-presidente da Sociedade Cearense de Oftalmologia, Hissa Tavares, aconselha que pacientes iniciem a busca por diagnóstico indo a um posto de saúde. “Pelo serviço público, a pessoa pode ir até o posto de saúde e o posto de saúde encaminha ao serviço de oftalmologia.”

É possível saber se você possui ou não glaucoma através de exames. O médico oftalmologista, membro do Conselho Brasileiro de Oftamologia (CBO), Giuliano Veras recomenda que, para diagnosticar a doença, pessoas com menos de 40 anos realizem um exame oftalmológico completo a cada três anos. “Infelizmente, a doença pode se desenvolver durante meses ou anos sem apresentar nenhum sintoma aparente e quando surgir está condicionada apenas à fase mais avançada, correndo o risco da perda da visão”, alerta o profissional.

Médico glaucomatólogo da Clínica de Olhos Massilon Vasconcelos, Alexis Galeno reitera a importância de se fazer exames periodicamente e explica como eles são úteis para identificar e tratar a doença. “O exame de avaliação do nervo óptico é o principal, que capta informações do olho e os conduz ao cérebro. Mas para iniciarmos tudo, é preciso que seja medida a pressão do olho, já que está envolvida na fisiopatologia da doença. Outro ponto bastante importante no processo de identificação da doença é a avaliação do campo de visão. Realizando avaliações com frequência é possível também identificar até em que estágio se encontra o glaucoma”, destaca.

Apesar de 3% da população possuir probabilidade de apresentar a doença óptica ao longo da vida, Giuliano detalha quais são os grupos mais suscetíveis a ter a doença. “Pessoas cujo pai, a mãe e/ou irmãos tenham glaucoma multiplicam por cinco esse risco, podendo chegar até 20% de probabilidade. Por isso, os indivíduos com menos de 40 anos que apresentem fatores de risco, como histórico familiar, miopia maior que 6 graus, espessura fina da córnea, diabetes e hipertensão arterial sistêmica, devem realizar exame oftalmológico completo a cada ano.”


Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001