09 de abril de 2020 às 08h35m
O desafio da pandemia do coronavírus em municípios turísticos

Cidades turísticas enfrentam a crise da Covid-19 com ações específicas voltadas à rede hoteleira, atrações turísticas e controle de entrada e saída dos limites do município

Nós temos muito prazer em receber o turista, mas não nesse exato momento". A frase da prefeita de Guaramiranga Roberlândia Ferreira (PDT) resume bem o posicionamento em meio à pandemia do novo coronavírus das prefeituras de cidades cearenses que têm no turismo o principal foco da atividade econômica. Com o período de quarentena vigente no Estado, locais como atrações turísticas, praias, hotéis, pousadas e restaurantes devem estar fechados. O respeito às determinações é crucial na contenção da Covid-19 e a chegada do feriado da Semana Santa é vista com atenção. A prefeitura do município serrano chegou baixar decreto fechando os principais acessos à cidade a partir de hoje, 9, até a próxima semana. Até a manhã de ontem, 8, Guaramiranga não tinha casos confirmados da doença segundo boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde do Ceará.

Antes do decreto fechando os acessos da cidade, a prefeita de Guaramiranga dividiu com O POVO que havia preocupação relacionada às pessoas que têm casas no município. "Com relação aos veranistas, aos que têm casa aqui, o apelo é para que não aluguem ou emprestem as residências nesse momento, evitem até subir a serra. Se a residência oficial é em Fortaleza, que permaneça em Fortaleza", pediu Roberlândia. Segundo a pedetista, postagens recentes em redes sociais divulgavam o aluguel de casas em Guaramiranga. "O município não tem como fazer esse controle, então fica difícil conseguir conter e evitar que as pessoas cheguem. Por isso, nos resta fazer o apelo para que as pessoas se conscientizem e não aluguem", reforçou.

O mais recente decreto é uma tentativa de salvaguardar a cidade. O fechamento não afeta moradores da cidade ou funcionários de estabelecimentos de lá que morem em outro município. Além disso, transporte de mercadorias essenciais e casos de urgência têm trânsito liberado. O controle de entrada será feito mediante comprovante de endereço ou documento de inscrição no cadastro do IPTU. Já trabalhadores devem comprovar vínculo empregatício com os estabelecimentos. A fiscalização será feita pela Guarda Municipal e pela Vigilância Sanitária, com apoio da Polícia Militar Ambiental, do Corpo de Bombeiros Militar e da Polícia Civil. "A gente precisa do turista para geração de emprego e renda, mas,no momento, precisamos tomar essa medida de contenção e paralisação de todos os serviços hoteleiros, restaurantes", pondera a prefeita. Apesar de impactar a atividade econômica, ela garante que não houve resistência, mas sim "parceria muito do trade, que abraçou a causa". (colaborou Rubéns Rodrigues)


Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001