22 de dezembro de 2019 às 18h40m
Central de Digitalização do TCE Ceará garante celeridade processual e segurança aos dados

Alinhado à política pública do Tribunal de Contas do Século XXI, o TCE Ceará avança ainda mais na era tecnológica.

Com o investimento em seis scanners e seis mesas digitalizadoras, fruto de parceria com o Tribunal de Justiça (TJCE), cerca de 13,5 milhões de documentos impressos serão totalmente digitalizados. Os números foram levantados pela Diretoria de Inovação da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI).

As máquinas da Central de Digitalização têm capacidade média para digitalizar 12 mil páginas por dia. Paralelamente, a máquina de mesa copia folhas em tamanho maior e processos mais antigos, evitando perda de dados dos papeis envelhecidos.

Além da celeridade nas instruções processuais, a transformação do documento físico para o virtual vai garantir ainda mais segurança aos dados. Entre as vantagens com a adoção do processo digital, estão a redução de gastos, menor burocracia, otimização do tempo, geração de um banco de dados, distribuição de informações, facilidade de acesso, aumento do espaço físico e contribuição significativa com a sustentabilidade.

 

A previsão é que em seis meses, todas as milhares de folhas estarão online no sistema do TCE Ceará e poderão ser pesquisados na página eletrônica da Corte. "Aqui não vai ser apenas imagem, esses super scanners permitem documentos editáveis. Isso vai fazer com que os processos de tramitação estejam integrados no Tribunal. A partir de agora, os processos que entrarem pelo Protocolo não estarão mais na versão física. Serão digitalizados na hora," garantiu o presidente Edilberto Pontes.

As máquinas copiam 140 páginas em apenas dois minutos. É mais uma ação para alinhar o TCE ao espírito do tempo, o Tribunal do Século XXI. Todos os documentos serão disponibilizados na ferramenta de busca Contexto. A maior parte é composta por documentos públicos, que estarão na internet para pesquisas. "Além de garantir maior segurança e facilitar o acesso aos dados, estamos contribuindo com a sustentabilidade. Os ganhos são substanciais", declarou Edilberto Pontes.

A Secretaria-Geral do TCE aponta a adversidade de se trabalhar apenas em meio físico. "O grande volume de processos ocupa espaço, dificulta o manuseio e o acondicionamento. A digitalização permite o acesso simultâneo e se inclui no novo contexto dos órgãos públicos, que permitem trabalhar a tecnologia associada a uma melhor oferta de serviços à sociedade", explica o secretário-geral Teni Cordeiro.

A iniciativa tecnológica aumenta o processo de controle. "O Tribunal investiu em equipamentos com alto poder de digitalização, o que vai possibilitar mais sustentabilidade, mobilidade e uma mudança de paradigma com a transformação do volume de papel para o mundo digital. Com esses dados digitalizados, teremos um banco de dados disponível para realizar trabalhos analíticos", explicou Alexsandre Silva, secretário de TI.

Segundo ele, todos os documentos serão pesquisáveis e inseridos de maneiras editáveis. "Nossa ferramenta Contexto tem como base o motor de busca da Google, com um poder de pesquisa gigantesco. A base de dados do Tribunal é de 500 mil documentos, com esse incremento chegaremos a 14 milhões de documentos pesquisáveis de maneira rápida e fácil", disse Alexsandre Silva.

 

 


Fonte: TCE CE

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001