25 de novembro de 2019 às 17h58m
Governo lança Ceará Veloz de olho em ampliar participação no PIB Nacional

Programa prevê medidas como a digitalização e simplificação de processos para retirada de licenças e outros documentos necessários para a instalação de empresas no Estado

A plataforma Ceará Veloz, apresentada na manhã desta segunda-feira, 25, promete melhorar as condições de investimento privado no Estado. Com reestruturação de regras e novo marco regulatório de incentivos fiscais, o objetivo da Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Trabalho do Ceará (Sedet) é incentivar a vinda de empresas e novas parcerias com o poder público. Com isso, a pasta pretende dar mais velocidade ao desenvolvimento de áreas como educação, infraestrutura e tecnologia.

Na prática, o programa prevê medidas como a digitalização e simplificação de processos para retirada de licenças e outros documentos necessários para a instalação de empresas no Estado. A plataforma também deve contar com um espaço físico único para relação entre órgãos governamentais e setores empresariais.

De acordo com o secretário da Sedet, Maia Júnior, a consequência esperada é o aumento da participação do Ceará no Produto Interno Bruto (PIB) nacional. Ele explica que, por mais que essa participação do Estado tenha crescido, ela ainda é lenta. “Precisamos ser mais velozes”, diz. A meta do programa é que, em 30 anos, o Ceará tenha participação na riqueza nacional proporcional à participação populacional.

Para atingir essa meta, a plataforma deve ajudar na desburocratização para ampliar os investimentos privados, na geração de empregos e na melhoria da média salarial do cearense. Maia Júnior aponta que as empresas estão cada vez mais diminuindo empregos nas indústrias e aumentando no setor de serviços.

Além dos setores econômicos, o projeto do Ceará Veloz está incluindo as pastas de Cultura, Ciência e Tecnologia e Desenvolvimento Agrário.

Camilo destaca investimentos em educação e infraestrutura

Em fala durante o lançamento, o governador Camilo Santana definiu a plataforma como uma "pactuação" entre Governo, sociedade civil e empresas para que o Ceará tenha crescimento acelerado. Para isso, segundo ele, é preciso investir em capital humano, em educação. Também é necessário aprimorar a logística e facilitar a burocracia para investidores.


Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001