04 de outubro de 2019 às 06h43m
Microsoft anuncia novos computadores Surface

Com preços iniciais de 749 a 1.299 dólares, linha inclui tablet, notebooks e dispositivos dobráveis. A empresa também lançou fones de ouvido sem fio

A Microsoft lançou na manhã desta quarta-feira, 2, sua nova linha Surface, de dispositivos voltados à produtividade. No evento realizado em Nova York foram revelados seis aparelhos. Os já existentes Laptop de 13 polegadas e Pro receberam atualizações. Foram anunciados também os modelos Laptop de 15”, Pro X, Neo e Duo.

Dois pontos em comum entre todos os dispositivos são o suporte à Surface Pen e o carregamento rápido, similar ao existente em celulares topo de linha. Os modelos podem ter 80% da bateria preenchida com menos de uma hora na tomada, segundo a empresa. Os conectores magnéticos para carregadores e acessórios, marca registrada dos aparelhos Surface, também permanecem.

O “ponto fora da curva” do evento foi o lançamento dos Surface Earbuds, fones de ouvido totalmente sem fio, ao estilo dos Earpods da Apple. O dispositivo tem dois microfones, cancelamento ativo de ruído, controles por toque e integração a aplicativos do pacote Office, oferecendo inclusive tradução simultânea em apresentações de slide. A capacidade é de 24 horas de uso, se for contada a bateria da caixa de transporte, que realiza carregamento dos fones quando guardados.

Surface Laptop

Agora disponível nos tamanhos de 13 e 15 polegadas, o chamado Surface 3 confirma rumores de que a empresa daria menos espaço à Intel na atual geração de seus computadores: o modelo de 15” traz uma versão do processador AMD Ryzen 7, customizada para o dispositivo. O diferencial fica no processador gráfico, que a Microsoft afirma ser o mais poderoso da categoria.

O modelo menor, por sua vez, vem com chip Intel Core (i3, i5 ou i7) de 10ª geração. A promessa é que ele seja duas vezes mais rápido que o Surface Laptop de 2018 e tenha o triplo da potência do MacBook Air, da Apple, seu concorrente direto. Ambos os tamanhos podem ser configurados de fábrica com armazenamento de até 1 TB, que é removível e pode ser substituído facilmente. A memória RAM LPDDR4x vai até 16 GB para a versão de 13” e 32GB para a de 15”.

Os aparelhos estão disponíveis nas cores preta, azul, prata e ouro rosado. Todas possuem corpo em alumínio, mas há diferenças no acabamento: as versões dourada e preta são totalmente em metal, enquanto azul e prata são revestidas em tecido ao redor do teclado e do trackpad, que está 20% maior que na geração anterior. Outra novidade é que os modelos Laptop podem ser reparados mais facilmente, com teclado destacável.

Os preços começam em US$999 (13”) e US$1.299 (15”), com pré-venda iniciando hoje e disponibilidade a partir do dia 22 de outubro.

Surface Pro

O modelo híbrido chega à sua sétima geração com poucas mudanças visuais. Trazendo como opcional o já tradicional teclado destacável, que também serve como capa de proteção, o Surface Pro 7 finalmente tem uma porta USB-C, cuja ausência era a principal crítica ao modelo anterior. Não há, porém, suporte à tecnologia Thunderbolt 3, então não é possível ligar placas de vídeo externas ao aparelho.

O dispositivo também está mais fino, mantendo a tela de 12,3” com resolução de 2736x1824 pixels e proporção 3:2. Os processadores disponíveis são os mesmos do Laptop de 13”, com opções de 4, 8 ou 16 GB de memória RAM e 128 GB a 1 TB de armazenamento. O preço é a partir de US$ 749, com a pré-venda começando hoje. As vendas em lojas físicas iniciam em 22 de outubro.

Surface Pro X

Em 2012 a Microsoft lançou, na estreia da linha Surface, o modelo RT. Contando com uma versão limitada do Windows, o aparelho não foi bem recebido pelo público nem pela crítica especializada. A maior problemática era que, utilizando um processador tipo ARM, semelhante aos de celulares, a maioria dos programas era incompatível com o computador.

Isso parece prestes a mudar. Por sua eficiência energética, processadores ARM são muito mais adequados a tablets que os modelos Intel ou AMD. A promessa da Microsoft nos últimos anos foi de garantir total compatibilidade entre o Windows e processadores ARM, e parte desse compromisso vem na forma do Surface Pro X.

O dois-em-um traz um processador Microsoft SQ1, criado em parceria com a Qualcomm, conhecida pela linha Snapdragon que equipa a maioria dos smartphones atualmente. Por conta disso, o modelo traz conexão 4G, e quem compra-lo não dependerá apenas de redes WiFi para acesso à internet. A diferença no consumo de bateria também é notável: são 13 horas no Pro X contra 10 no Pro 7. Há, por fim, um módulo do processador dedicado a inteligência artificial, primeiro do tipo em um aparelho com Windows.

O Pro X é mais fino que o irmão com processador Intel, além de ter design mais arredondado e tela maior, de 13” e resolução 2880x1920, com bordas finas para manter as mesmas dimensões. O aparelho também traz duas portas USB-C, mas nenhuma USB de tamanho habitual, e não há entrada para fones de ouvido com fio.

As configurações podem ir de 4 GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno até 16 GB e 1 TB, respectivamente. O armazenamento é removível e pode ser acessado com facilidade na mesma entrada do cartão SIM que permite a conexão 4G.

Para demonstrar as capacidades do Pro X, a Microsoft trouxe ao palco uma exibição do aplicativo de pintura digital Adobe Fresco, atualmente disponível apenas para iPad, mas que será liberado para Windows em breve. O programa tira proveito da Surface Slim Pen, novo modelo de caneta disponível para o Pro X em conjunto com a nova Type Cover, capa de proteção com teclado, que agora possui um espaço para guardar a caneta e carregar sua bateria.

A pré-venda do Surface Pro X começa hoje e os aparelhos serão entregues e vendidos em lojas físicas a partir de 5 de novembro. Os preços começam em US$ 999 para o modelo de 4/128 GB, enquanto a Slim Pen e a Type Cover, que são vendidas em separado, custarão US$145 e US$140, respectivamente.

Surface Neo e Surface Duo

Fechando o evento houve dois anúncios de dispositivos que só não chegarão tão cedo. Chamados de Neo e Duo, os aparelhos trazem duas telas e um design diferente do resto da linha Surface.

O corpo de ambos é branco, com bordas arredondadas, e apenas 5,6 mm de espessura quando aberto. Apesar de serem dispositivos dobráveis, Surface Neo e Surface Duo não possuem display dobrável, como o Samsung Galaxy Fold e o Huawei Mate X: são duas telas planas separadas, com uma borda bem visível entre elas, que podem ser giradas em 360°.

O Neo é mais próximo do tamanho de um notebook, mas, segundo a Microsoft, ele inaugura “a próxima categoria” de dispositivos e “remove o conflito entre tablet e notebook”. Tem como acessórios uma Slim Pen integrada e um teclado sem fio, vendido em separado, que se alinha magneticamente ao aparelho.

O aparelho roda uma nova versão do sistema da Microsoft, chamada de Windows 10X, mais leve e com suporte a telas duplas, como a do Surface Neo. É possível utilizar um aplicativo em cada tela, ou um programa só em ambos os displays – a interface se adapta para cada cenário de uso. O teclado magnético, por sua vez, pode ser usado cobrindo parcialmente uma das telas, que então se adequa ao contexto mostrando um trackpad virtual ou emojis, ou separado do dispositivo.

O Duo é mais próximo ao tamanho de um smartphone, quando fechado, lembrando rumores, existentes há anos, de que a Microsoft lançaria um “Surface Phone”. Cada tela tem 5,6”, e podem ser usadas em conjunto, como um tablet, ou dobradas “para fora”, como um celular com display na frente e na traseira. O aparelho roda Android, mas os detalhes ainda são escassos.

Surface Neo e Surface Duo chegarão no final de 2020, sem preço ou especificações definidas. Segundo a Microsoft, a intenção é levar estes aparelhos a desenvolvedores “o quanto antes”, para que, no lançamento comercial, já existam aplicativos adaptados e aproveitando o formato diferenciado dos dispositivos.


Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001