30 de setembro de 2019 às 16h15m
Xiaomi anuncia celular com tela que "dá a volta" no aparelho

Custando mais de R$11 mil, Mi Mix Alpha também surpreende pelo preço; aparelho não deve ser lançado oficialmente no Brasil

 

 

 

 

A fabricante chinesa de eletrônicos Xiaomi lançou o Mi Mix Alpha, aparelho composto quase inteiramente pela tela – tanto na frente quanto na parte traseira. O celular é a quarta geração da linha Mix, conhecida pelas bordas extremamente finas. Desta vez, porém, a empresa foi além: smartphones topo de linha são anunciados com proporções entre 90% e 95% entre corpo e display, mas a Xiaomi fala em “mais de 180%” no novo modelo.

A “mágica” aqui é que a tela literalmente dá a volta no aparelho. Exceto pelas bordas superior e inferior e por uma faixa na traseira, onde ficam as câmeras, tudo no modelo é composto pelo display. Isto resulta em um tamanho (contando frente, traseira e laterais) de 7,92 polegadas, e na incomum resolução de 2.088 x 2.250 pixels. Com tanta tela, não há como usar botões físicos, portanto os controles de volume ficam em pontos sensíveis à pressão na lateral do celular, que também mostra informações como nível da bateria, intensidade do sinal e ícones de notificações.

A Xiaomi afirmou que o celular utiliza inteligência artificial para detectar diferentes cenários de uso para a parte traseira, como tirar uma selfie, solicitar corridas por aplicativo ou verificar horários de voos. Os protótipos apresentados na terça-feira possuíam cobertura de plástico, mas a empresa garantiu que a versão final, cujas vendas devem começar em dezembro, utilizará vidro no revestimento. A estrutura interna do aparelho é feita de titânio, para ajudar na durabilidade, enquanto a faixa traseira é de cerâmica com lentes de safira nas câmeras.

Nem todas as novidades, porém, estão na tela. A câmera tripla também traz destaques, em especial a principal, de 108 MP, primeira do tipo em um celular. O sensor de 1/1,33”, feito pela Samsung, e a lente com abertura f/1.7, juntamente com a tecnologia que combina quatro pixels em um para aumentar o nível de detalhes, promete gerar fotos excelentes mesmo em baixa iluminação.

Há também uma teleobjetiva de 12 MP com zoom óptico de 2x e uma grande angular de 20 MP com ângulo de visão de 117°. Completam o conjunto um flash duplo de LED e um sistema de autofoco por laser.

Outras especificações seguem o esperado em um aparelho deste porte: 512 GB de armazenamento interno com tecnologia UFS 3.0, 12 GB de RAM, processador Snapdragon 855+ e o sistema MIUI 11 rodando por cima do Android 10, versão mais recente. A bateria de 4050 mAh é preenchida usando uma tecnologia de carregamento rápido de 40 W. Há, também, suporte a conexões 5G. O leitor de impressões digitais fica por baixo da tela, assim como o alto falante, de tecnologia ultrassônica, e o sensor de proximidade.

Tanta tecnologia e materiais sofisticados, porém, cobram seu preço: o aparelho possui versão única com preço de 19.999 iuanes que, convertidos, equivalem a mais de R$11.500,00. A fabricação será em pequena escala, pois a Xiaomi considera o celular um modelo conceitual, de vendas limitadas. A empresa tem representação oficial no Brasil através da importadora DL, mas não há previsão de venda do aparelho no País.


Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001