03 de setembro de 2019 às 10h46m
Deputados defendem recursos para perímetros irrigados

Deputados cearenses defenderam, em audiência pública realizada na manhã de ontem (2), a garantia de recursos para os perímetros irrigados no Estado do Ceará.

As discussões ocorreram na Assembleia Legislativa (AL) e contaram com a presença de representantes do Governo Federal e de órgãos relevantes ao tema.

O deputado estadual Nezinho Farias (PDT) defendeu a necessidade de se discutir com todos os técnicos ligados ao setor uma saída positiva para o momento. Na avaliação do parlamentar, que propôs o debate, “os perímetros irrigados estão falidos, quebrados, e o sistema de irrigação, projetado há 40 anos, agora está totalmente abandonado e desestruturado”.

Ele considera que é necessário que os governos federal e estadual encontrem uma solução para a reestruturação desses perímetros. “Que seja discutido com os colonos e com os agricultores qual a melhor solução para esses perímetros, que já foram referências para o País e hoje estão totalmente quebrados”, sublinhou.

O diretor administrativo do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), Gustavo Medeiros, apontou que os contingenciamentos de recursos são, no momento atual, um dos principais entraves para o fortalecimento da agricultura irrigada. “Os nossos aportes financeiros são mínimos, sendo responsabilidade do Governo Federal melhorar a produção de todos os perímetros irrigados. O presidente da República Jair Bolsonaro já se comprometeu a liberar R$ 37 milhões para a agricultura irrigada do Estado”, assinalou.

O presidente da Comissão de Agropecuária da AL, deputado Moisés Braz (PT), aproveitou o momento para externar sua admiração pelo trabalho desempenhado pelo Dnocs. O petista ressaltou que a entidade dialoga com a população rural e enfrenta a questão da estiagem, não focando apenas no armazenamento de água, mas criando também grandes projetos que distribuem renda. “Precisamos reconhecer o valoroso trabalho do Dnocs e a importância dos trabalhadores desses 14 perímetros irrigados do Estado. É função dessa entidade garantir com que aqueles que hoje estão endividados e com seus perímetros praticamente destruídos possam voltar a sonhar e ter produção agrícola”, salientou.

Já de acordo com o representante do Ministério da Integração Nacional, Frederico Cintra, cabe ao Governo Federal conduzir de forma macro as diretrizes de irrigação do País, reconhecendo as várias deficiências de infraestrutura nos perímetros irrigados. Ele ressaltou que é importante focar também na questão da gestão.
“É necessário focar não só em conseguir recursos para os projetos de irrigação, mas entender que se os distritos não fizerem a gestão correta destes recursos, pouco vai adiantar. O grande problema é o orçamento, mas não adianta ter um orçamento mais robusto sem planejamento para executar as ações”, pontuou Frederico Cintra.

Para o representante dos irrigantes, Raimundo César, é importante que as demandas sejam levadas até Brasília para a retomada do desenvolvimento rural. “Precisamos buscar alternativas para voltar o crescimento da produção agrícola, pois a saída para o crescimento do País passa pela agropecuária”, enfatizou o representante.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001