10 de julho de 2019 às 12h44m
Acrísio Sena alerta para alto registro de novos agrotóxicos no Brasil

O deputado Acrísio Sena (PT) alertou, ontem, no plenário da Assembleia Legislativa, para a alta aprovação e registro de agrotóxicos no Brasil. De acordo com o parlamentar, nunca foi tão fácil e rápido registrar o uso de agrotóxicos no País, pois nos últimos quatro anos, o uso dessas substâncias deu um salto significativo. “Até o dia 14 de maio foram aprovados 169 produtos, superando o total de 2015

E o pior, esse número pode chegar a mais de 200 no mês de junho”, lamentou.

Outro ponto destacado pelo deputado é que enquanto os Estados Unidos e a União Européia estão banindo o uso de algumas substâncias, o Brasil vai na contramão e amplia o uso de agrotóxicos comprovadamente nocivos. “Os Estados Unidos vão banir o agrotóxico que afeta o cérebro, chamado Clorpirifós. Pois este mesmo produto é um dos mais vendidos no Brasil. Não bastando que 43% dos produtos aqui usados são altamente tóxicos e 31% deles totalmente proibidos na Europa e nos Estados Unidos. Ou seja, nosso País virou um depósito de tóxicos”, apontou.

Acrísio Sena ressaltou ainda o alarme de ativistas do meio ambiente e da saúde em relação ao contato da população com essas substâncias e sua ligação com o aumento de doenças. “Estes venenos estão sendo empurrados à revelia para toda a população. O número de pessoas que morrem vítimas de câncer no Brasil tem total ligação com esses produtos. E se pararmos pra pensar, temos estudos referentes ao mal que cada produto pode fazer, mas o problema é que estamos tendo o contato simultâneo com vários produtos”, avaliou.
Ainda segundo o deputado, os estudos do Núcleo Tramas –Trabalho, Meio Ambiente e Saúde -, vinculado ao Departamento de Saúde Comunitária da Universidade Federal do Ceará (UFC), concluíram que 97% dos trabalhadores da Chapada do Apodi estão expostos a substâncias nocivas.

“Cerca de 60% dos trabalhadores daquela região relataram quadros de intoxicação. E 500 milhões de abelhas morreram atingidas por esses produtos. Só em 2017 consumimos 539 mil toneladas de agrotóxicos no Brasil. O portal da Assembleia fez uma enquete sobre essa flexibilização no Brasil e 80% dos internautas são contra essa medida. Não podemos assistir a isso calados”, afirmou.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001