12 de abril de 2019 às 06h44m
A terra de Iracema te abraça!

“Ao longe, em brancas praias embalada pelas ondas azuis dos verdes mares, a Fortaleza, a loura desposada do sol… ”

Assim descreveu o poeta Paula Ney a beleza da aniversariante capital alencarina, que comemora 293 anos de sua fundação. Quase três séculos de muitas memórias, incontáveis gerações, famílias tradicionais que perduram até hoje, de passado, presente e futuro que se misturam e contam histórias que nunca terão fim.

Uma cidade que olha para frente, sem esquecer-se de tudo o que passou para chegar até aqui. Dona de uma venustidade incomparável, Fortaleza convive também com os temores da modernidade. Aquele ar de glamour progressista da “Belle Époque” já não existe mais, infelizmente. Sobrados, palacetes e boulevards deram lugar a edifícios e arranha-céus enormes, vias de chão batido ganharam asfalto, o clima interiorano de outrora foi substituído por um sentimento de inquietude devido à insegurança.

A Capital cresceu, se desenvolveu, ganhou ares de metrópole e, com isso, vieram também os males da cidade grande. A criminalidade evoluiu e hoje assombra, assola, amedronta o trabalhador. Atentados dignos de filmes que passavam no antigo Cine São Luiz, com bombas em viadutos e tudo mais, Guarda Nacional e Exército nas ruas, perseguições cinematográficas, enfim.

Todavia, o fortalezense, antes de tudo, é um arretado, enfrenta os percalços diários de cabeça erguida, e ainda arranja tempo para deixar aflorar seu tradicionalíssimo bom humor. O jeito moleque e descontraído deixa a vida muito mais leve e ajuda a enfrentar as adversidades de maneira sadia, humana.
Com esse perfil agradável, o fortalezense se especializou em receber quem vem de outras partes do Brasil e do mundo para conhecer a Terra do Sol. A hospitalidade é o principal cartão de visitas de quem aqui reside. O sentimento acolhedor emana por toda a cidade, do Jangurussu ao Cais do Porto, do Vila Velha à Lagoa Redonda. E isso encanta a qualquer turista que busca desbravar a minha, a sua, a nossa Fortaleza.

Receptivo


“É um prazer enorme vir à capital cearense, busco sempre estar por aqui, porque as pessoas te recebem com tanto carinho, com tanta alegria que nem dá vontade de ir embora. No ano passado, vim com meus pais para passar cinco dias e acabamos ficando 15, esticamos a viagem porque Fortaleza é linda, um paraíso e o povo é espetacular, receptivo ao extremo. Se pudesse eu viria de seis em seis meses aqui, sem dúvidas”, disse a arquiteta Ana Richena, que mora em São Bernardo do Campo, interior paulista.

 

Para Aristides Horiyama, o amor pela terra de Iracema foi ainda mais arrebatador. Carioca de Niterói, o empresário veio a passeio no final dos anos 1990 e pouco depois, após casar-se com a professora Lindalva Horiyama, resolveu adotar Fortaleza como sua morada em definitivo. “Me apaixonei por este lugar, como dizem por aí “eu moro onde você passa férias”, então resolvi viver as férias para sempre, me considero fortalezense, meus filhos nasceram aqui com muito orgulho, fui muito bem recebido e passo essa hospitalidade adiante, faço questão de convidar quem mora noutros estados para vir aqui”, detalha.

Salta aos olhos


Banhada por sol e mar durante o ano inteiro, Fortaleza é muito mais do que uma simples cidade: é um pedacinho do paraíso, pintada em aquarela, o luxo da aldeia, a obra-prima erguida na força de um dragão do mar. A cidade-luz é isso, exuberância, imponência, magia e fantasia. Das velas do Mucuripe às centenárias histórias – e estórias – da Praça do Ferreira; da famigerada Beira Mar e seus encantos aos espetáculos culturais do Theatro José de Alencar; do reduto do artesanato cearense Mercado Central ao charme indefectível da Praia de Iracema.

O encanto está em cada lugar, em cada esquina de uma cidade que cresce sem perder a harmonia que lhe é peculiar desde sempre. É muito fácil gostar de Fortaleza, é algo natural, basta se deixar levar pelo vento que sopra o ano inteiro, que leva e traz o cheiro do mar, basta apreciar o pôr do sol único, ímpar. Basta vir, para não querer ir mais. Fortaleza é receptividade, é abraço, sorriso, sonho, povo, festa. É amor.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001