12 de abril de 2019 às 06h42m
Camilo aponta metas para educação do Ceará em 2019

O governador Camilo Santana passou para as mãos dos titulares das 20 Coordenadorias Regionais de Desenvolvimento da Educação (Credes) as metas a serem alcançadas em 2019 no Ensino Médio da rede pública do Ceará.

Na ocasião, o chefe do Executivo estadual aproveitou ainda para conversar com os educadores sobre questões do cotidiano escolar e traçar as prioridades de investimentos no decorrer do ano.

O encontro aconteceu, ontem, no Palácio da Abolição, e contou com a participação da vice-governadora Izolda Cela e da secretária da Educação, Eliana Estrela.
Sobre as metas estabelecidas, de cunho restrito aos educadores, o governador as classificou como “ousadas”, mas perfeitamente alcançáveis pelo que vem sendo apresentado de investimentos e resultados nos últimos anos.

“Nós conseguimos avançar em vários aspectos. Hoje, o Ceará tem o melhor Ensino Fundamental do Brasil, e isso é fruto desse trabalho da Seduc (Secretaria da Educação) com os municípios. A nossa grande meta é zerar o abandono escolar. Já tivemos uma queda importante, mas é algo que tem que ter continuidade. Não tenho dúvida que a gente tá construindo uma geração nova para o Ceará com essa questão da educação. Tenham muito orgulho disso. Ainda temos um caminho longo pela frente, e a gente tem mantido uma responsabilidade fiscal para que possamos continuar investindo. A educação continuará sendo a prioridade número um do nosso Governo”, enfatizou o governador que ainda prometeu transformar os encontros com os coordenadores em algo periódico.

Segundo dados sobre a educação cearense, Camilo Santana ressaltou que o Estado apresenta uma “peculiaridade interessante”, que é conseguir penetrar nas classes sociais mais baixas. “O Ceará tem um dado importante. O resultado tem sido melhor em alunos da faixa de renda mais baixa. Isso nos orgulha muito, fazer com que as pessoas que têm mais vulnerabilidade tenham acesso a uma educação de qualidade e com bons resultados’, comemorou.
Entusiasta do modelo que usa a educação como base para dar mais oportunidade aos que mais precisam, a vice-governadora Izolda Cela ressaltou que o desafio “é grande, mas gratificante”.

“Nós sabemos que nas grandes demandas e desafios da rotina a educação tem tido um lugar especial por tudo que representa. Acho que sempre podemos fazer algo que ainda não estávamos fazendo. A gente precisa crescer tanto pelo direito desses jovens terem oportunidade, pois o processo escolar é um desses pilares, como também pela possibilidade de fazer com que o crescimento seja pedagógico, trazendo uma energia para nossa grande rede. As pessoas saberem que o esforço delas rende um resultado reconhecido e festejado é muito importante”, incentivou a vice-governadora.

Metas


A secretária da Educação, Eliana Estrela, explicou que a metodologia adotada para chegar ao objetivo final tem como principal finalidade dar mais conhecimento ao aluno. “As metas são estabelecidas através de uma conta que fazemos com os fluxos da nossa aprovação interna e com o Spaece (Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará), daí chegamos à meta do Ensino Médio. Cada Crede e escola têm a sua, que não mira simplesmente subir no ranking, mas visa de fato uma aprendizagem mais efetiva para a juventude”, destacou.

Ações
Durante o encontro, a secretária da Educação apresentou uma série de ações que vêm sendo desenvolvidas para melhorar os resultados de aprendizagem no Ensino Médio. Entre elas, a titular da pasta destacou o estímulo ao protagonismo estudantil; investimento nas escolas de educação profissional e tempo integral; política de reconhecimento dos esforços dos profissionais e de estudantes; fortalecimento do apoio aos estudantes para o ingresso no Ensino Superior; acompanhamento e apoio diferenciado das escolas com indicadores de rendimento acadêmico e abandono mais críticos; práticas de gestão para resultados em todas as escolas estaduais; entre outras.

Eliana aproveitou para citar projetos a serem realizados para continuar avançando como a ampliação da matrícula em escolas de tempo integral, expansão dos Centros Cearenses de Idiomas, os programas “Nem 1 Aluno Fora da Escola”, “Superação” e “Minha Escola é Minha Comunidade”.

Rede

 

A rede pública estadual é formada por 727 escolas e 450 mil alunos. Sendo 251 funcionando em tempo integral (130 são de Ensino Médio Regular em Tempo Integral – EEMTI e 121 Escolas Estaduais de Educação Profissional – EEEPs). Nas EEEPs, 50 mil alunos de 98 municípios estão matriculados em 53 cursos. Na Capital, são 21 escolas profissionais. Os alunos fazem o Ensino Médio integrado à Educação Profissional, com duração de três anos, com funcionamento diário em tempo integral, das 7h às 17h. Durante o terceiro ano, o Governo do Estado propicia o acesso ao estágio curricular obrigatório e remunerado a todos os alunos. As Escolas de Ensino Médio Regular em Tempo Integral começam na 1ª série e a expansão ocorre gradualmente para as próximas séries. Cada escola oferta uma jornada de nove horas. O currículo é composto por 30 horas semanais de disciplinas da base comum a todos e 15 horas na parte flexível, sendo que 10 são escolhidas pelos 39 mil estudantes atendidos.

Destaque

 

O Levantamento do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) aponta que a rede pública cearense está entre as melhores do país em análise de fluxo escolar. A rede pública cearense ocupou as primeiras posições entre os estados brasileiros com melhores indicadores de promoção, diminuição de repetência, queda de evasão escolar e migração para Educação de Jovens e Adultos (EJA) nos ensinos Fundamental e Médio. De acordo com o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB-2017), 82 dos 100 melhores resultados escolares do Ensino Fundamental são do Ceará.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001