25 de janeiro de 2019 às 07h35m
Senado dos EUA rejeita proposta de Trump para construção do muro e reabertura do governo

Proposta democrata que previa financiamento para abertura do governo até 8 de fevereiro e nova discussão sobre migração nesse período também foi rejeitada. Segundo pesquisa, 49% dos entrevistados acreditam que a culpa pelo "shutdown" é do presidente e 35% culpam democratas.

O Senado dos EUA rejeitou, nesta quinta-feira (24), duas propostas que poderiam garantir a reabertura do governo federal, em "shutdown" há 34 dias. Uma delas, apresentada pelo presidente Donald Trump, previa a inclusão de US$ 5,7 bilhões no orçamento para a construção de um muro na fronteira com o México.

A segunda proposta foi apresentada pelo Partido Democrata, e visava um financiamento temporário para permitir que o governo permanecesse em funcionamento até 8 de fevereiro, período no qual os legisladores discutiriam um projeto migratório mais amplo.

Nenhum dos dois projetos obteve os 60 votos necessários para aprovação. Atualmente, o Senado dos EUA tem 53 integrantes do Partido Republicano e 45 do Partido Democrata, além de dois independentes que em geral votam acompanhando os democratas.

A proposta de Trump foi apresentada no último sábado e rejeitada no mesmo dia pela oposição. O plano incluía US$ 800 milhões para assistência humanitária, US$ 805 milhões para detecção de drogas, a contratação de novos 2.750 agentes de fronteira e 75 novos juízes de imigração e a construção de "uma barreira com 230 milhas, ao custo de US$ 5,7 bilhões".

Em troca, o presidente oferecia três anos de anistia aos jovens imigrantes ilegais conhecidos como “dreamers” (imigrantes que chegaram aos EUA quando ainda eram menores de idade e cresceram no país), assim como uma extensão do mesmo prazo para portadores de status de proteção temporária (TPS, na sigla em inglês).

Mas antes mesmo do pronunciamento de Trump, a presidente da Câmara, Nancy Pelosi, divulgou um comunicado dizendo que, "infelizmente, os relatos iniciais deixam claro que sua proposta é uma compilação de várias iniciativas anteriormente rejeitadas, cada uma das quais é inaceitável e, no total, não representa um esforço de boa-fé para restaurar a certeza na vida das pessoas. É improvável que qualquer uma dessas disposições passe sozinha pela Câmara e, em conjunto, elas são inaceitáveis".

Shutdown

A paralisação parcial do governo federal norte-americano, que chegou nesta quinta-feira ao seu 34º dia, é a mais longa da história. Diversos setores não estão funcionando e 800 mil funcionários são diretamente afetados.

Eles já não receberam o pagamento de um salário e acabam de iniciar o segundo mês em que poderão não receber - ou que receberão com atraso, apenas quando terminar a paralisação.

Segundo uma pesquisa da Morning Consult/Politico citada na quarta-feira pela CNBC, 49% dos entrevistados acreditam que a culpa pelo "shutdown" é do presidente, enquanto 35% culpam os democratas e 4% os republicanos.

Outra pesquisa, da rede CBS, e também divulgada na quarta-feira, indica que 66% acham que Trump deveria aprovar o financiamento do governo sem verbas para o muro, e 31% pensam que ele deveria rejeitar um plano sem dinheiro para o muro.

A mesma pesquisa diz que apenas 28% consideram que o muro compensa uma paralisação do governo, contra 71% respondendo que não vale a pena. Além disso, 37% acham que o muro é necessário, enquanto 61% pensam que ele não é uma necessidade.


Fonte: g1.com

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001