02 de novembro de 2018 às 06h55m
O afeto que nos banha

D'Água, novo espetáculo do Coral da UFC, reúne de afeto, cuidado e união em um espaço cênico de muita água e som

No suor da labuta ou na lágrima que banha e alegra o rosto, flui a vida como água. "Para afogar tudo o que é deserto em nós", o Coral da Universidade Federal do Ceará (UFC) canta toda a pureza, cuidado e afeto que, no correr da existência, é atravessado pela liquidez - dos corpos, dos sentimentos e das histórias. Utilizando voz e expressão corporal, o grupo se une à Orquestra Sonial, também da Universidade, para celebrar a nossa música. Com início manhã, a partir das 20 horas, o espetáculo D'Água chega ao Teatro Dragão do Mar e marca o início das comemorações dos 60 anos do Coral da UFC.

 

Sob a direção e regência de Erwin Schrader, D'Agua está sendo preparado pelo grupo há dois anos. "Utilizamos algumas técnicas desenvolvidas ao longo desses quase 60 anos de trajetória Coral da UFC. Com a união, em um mesmo espaço cênico, de cantores e instrumentistas, o grupo busca explorar outras linguagens artísticas e conduzir o público à profundidade do universo que D'Água propõe. "Nossa maior expectativa é sensibilizar o público por meio da beleza dessa água que nos inunda e transborda", explica Erwin.

 

Reunindo 620 horas de ensaio de voz e expressão corporal, a montagem é formada por professores e musicistas que são, em sua maioria, estudantes do curso de Música da UFC. Desde o início dos anos de 1980, o Coral tem ganhado destaque com espetáculos que ampliam as possibilidades do espaço teatral. As mais recentes realizações foram o espetáculo Gula, em 2015, e Menino, em 2014, que homenageou os 50 anos de carreira de Milton Nascimento.

 

Com 19 canções, o espetáculo tem Fausto Nilo, Belchior, Caio Castelo, Flávio Paiva e Tarcísio Sardinha, por exemplo, como parte de seu repertório. "Procuramos criar conexões por meio da música com essa água nos aproxima, nos afoga, nos banha de afeto", explica Erwin. Jardim do Olhar, de Fausto Nilo, é uma das canções que ganham arranjo original do Coral. "Nosso intuito é apresentar canções brasileiras que, apesar da beleza, são pouco conhecidas do público."

 

O espetáculo se passa na Sociedade da Água, uma aldeia construída em torno de uma cachoeira e de lendas milenares. Uma dessas lendas conta que três moças - responsáveis pela mágica de brotar e purificar a água - morreram por falta de afeto e, com elas, esvaiu-se a prosperidade do lugar. "Foram-se para nunca mais", diria a canção As moças, de Paulinho Soares, que serviu de inspiração para o enredo.

 

Para contar a história desse universo mágico, o cenário foi montado com um espelho d'água por onde circulam 5 mil litros de água totalmente reaproveitada. No palco do Teatro Dragão do Mar, 31 vozes do coral da UFC cantam sobre o afeto e sua liquidez, experimentando a sinergia de ser água e som. "Aos poucos a água se tornou um elo entre todos os integrantes do grupo. Cantar o D'Água hoje é símbolo de cantar afeto para nós", conta Lucas Anderson, que participa do Coral desde 2015.

 

Estreia de D'Água

Quando: 2 de novembro a 16 de dezembro. Sextas e sábados, às 20 horas. Domingos, às 19 horas.

Onde: Teatro Dragão do Mar (rua Dragão do Mar, 81 - Praia de Iracema)

Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

Informações: (85) 3488.8600


Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001