20 de julho de 2018
Dragão do Mar realiza programação comemorativa ao centenário de Mandela

Exposição que conta a história do ex-presidente sul-africano segue até o dia 30 deste mês

 

Exposição que conta a história do ex-presidente sul-africano segue até o dia 30 deste mês (Foto: AFP)Se estivesse vivo, o ex-presidente da África do Sul Nelson Mandela completaria 100 anos nesta quarta-feira, 18. Como forma de homenagear o líder africano, que deixou legado de lutas contra as políticas de segregação racial, conhecidas como Apartheid, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura tem realizado programação comemorativa para a data.

Durante a tarde desta quarta-feira, a instituição promoveu um seminário com a embaixadora de Gana no Brasil, Abena Busia, sobre a "História Negra através da Poesia: Mandela e a Memória Diaspórica". Uma palestra com o tema “O legado de Mandela" também foi ministrada pelo presidente do Instituto Brasil África, João Bosco Monte, e por Vera Regina, professora da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab).

Sobre o assunto

Na quinta-feira, 18, a comemoração ao centenário de Mandela continua com um diálogo sobre “Autodefinição para a construção de uma luta negra no Brasil, reflexões a partir do Apartheid”, no miniauditório do Museu da Cultura Cearense.
O momento será conduzido pela militante do movimento negro, Luana Apolinário, estudante de Serviço Social pela Universidade Estadual do Ceará (Uece), juntamente com Jamieson Simões, pesquisador do Laboratório de Conflitualidades e Violência (Covio/Uece), assessor do Comitê pela Prevenção aos homicídios na Adolescência e consultor do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).
Exposição “Mandela: de prisioneiro a presidente”

Desde o dia 20 de junho, Nelson Mandela tem sido homenageado no Centro Dragão do Mar com a exposição “Mandela: de prisioneiro a presidente”. Em cartaz no Museu da Cultura Cearense, as visitações são gratuitas e acontecem até o dia 30 deste mês.
A exibição reúne 50 painéis com fotos e 9 peças audiovisuais, que contam a trajetória do líder sul-africano em seis temas: A pessoa; O camarada; O líder; O prisioneiro; O negociador; e O homem de Estado.
Fortaleza é a primeira cidade brasileira a receber a exposição, que já passou por França, Suécia, Estados Unidos, Equador, Argentina, Peru e Luxemburgo, sendo vista por mais de 1,1 milhão de pessoas.
As visitações podem ser realizadas de terça-feira a sexta-feira, entre as 9 horas e 19 horas. Já aos sábados, domingos e feriados, o ingresso vai das 14 horas às 21 horas. Para acessar, o público deve chegar até meia hora antes do horário de exposição.
 

Fonte: O Povo

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001