08 de maio de 2018 às 08h30m
Mais de mil famílias de Fortaleza são beneficiadas pelo programa Papel da Casa

Mais de mil famílias de seis das sete regionais de Fortaleza receberam, no último sábado (5), escrituras de transferência de propriedade referentes a imóveis construídos, financiados e quitados desde a década de 1980.

Mais de mil famílias de seis das sete regionais de Fortaleza receberam, neste sábado (5), escrituras de transferência de propriedade referentes a imóveis construídos, financiados e quitados desde a década de 1980.

A entrega foi realizada pelo governador Camilo Santana no Cuca Jangurussu. Ao todo, foram entregues 1.037 escrituras de propriedades localizadas nos Conjuntos José Walter, Ceará e Esperança. Famílias que têm imóveis em bairros e localidades como Tancredo Neves, Santa Terezinha, São Francisco, Lago Azul, Morada dos Bosques, Parque das Flores e Morada do Sol também foram contempladas com a ação, parte do programa estadual Papel da Casa.

Durante a solenidade de entrega dos documentos, o governador Camilo Santana ressaltou o desafio e a importância em se ter uma casa própria.

governador Camilo Santana destacou que a previsão é regularização de quase 30 mil imóveis em todo o Ceará.

Com a entrega destes 1.037 documentos, o programa Papel da Casa soma, na Capital e Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), 11.636 famílias beneficiadas. A meta é de contemplar cerca de 23 mil cearenses.

Dentre as famílias beneficiadas estão inseridos servidores públicos do Estado que aderiram ao programa lançado no ano de 1981, pelo extinto DOHAB/IPEC, hoje Companhia de Habitação do Ceará (Cohab). Os Conjuntos Curió e São Bernardo, construídos em regime de mutirão habitacional, foram os primeiros a serem regularizados pelo Estado, legalizando 2.026 unidades habitacionais na Grande Messejana.

A garantia da casa própria é uma conquista que não há valor que pague. Pelo menos é assim que a dona de casa Kênia Monteiro, 42, avalia. Ela mora em um pequeno apartamento no bairro Messejana com os filhos Levi, de 12 anos, e Natan, de 8 anos, e só agora conseguiu registrar o imóvel.

Além de Kênia, outras tantas pessoas e histórias dependiam da escritura do imóvel para que a vida seguisse. Para a professora Mary Sá, de 40 anos, a felicidade não cabe nela, nem na mãe – que aguardava o registro de uma casa Conjunto Ceará há 40 anos.

Iniciativa do Governo do Ceará, por meio da Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag), o programa promove transferência de propriedade para famílias de baixa renda que adquiriram e quitaram seus imóveis junto à Cohab, por meio de isenções fiscais e redução de até 70% de taxas remuneratórias de serviços públicos – os emolumentos. É o sétimo evento do programa.


Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001