03 de maio de 2018 às 11h36m
Ceará elevado a um novo patamar aéreo

O Aeroporto Internacional Pinto Martins passará, a partir de hoje, a ser a principal porta de entrada para turistas vindos da Europa

O Aeroporto Internacional Pinto Martins passará, a partir de hoje, a ser a principal porta de entrada para turistas vindos da Europa, mas também Ásia e Norte da África, para o Brasil, com o início de operações do Hub Nordeste das companhias aéreas Air France e KLM, com cinco operações semanais, sendo duas de Paris e três de Amsterdã. Atuando em parceria com a Gol Linhas Aéreas, que fará o transporte dos passageiros vindos do exterior, em território nacional, o grupo franco-holandês deverá proporcionar uma expansão significativa no fluxo turístico internacional nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Isso porque a Gol ampliou a sua malha aérea para cidades como Manaus, Belém, Natal, Recife e Brasília, a fim de proporcionar a rápida conexão para os passageiros vindos da Europa, para seus destinos finais, em outros estados brasileiros. E está sendo analisada a possibilidade de ser realizada uma operação de stopover no Ceará, através da qual os turistas estrangeiros poderão descer em Fortaleza, passar três ou quatro dias, e depois seguir viagem sem custos extras, a fim de conhecer algumas das belas praias do Ceará, ou até mesmo o Beach Park. Essa possibilidade também poderá ser realizada na volta, antes do embarque para a Europa. Com isso, mais recursos deverão ser deixados em território cearense, em especial na rede hoteleira, bares, restaurantes, shopping-centers, comércio e serviços em geral.

Oportunidades
O governador Camilo Santana foi um dos principais responsáveis pela vinda do Hub Nordeste do Grupo Air France-KLM para Fortaleza, tanto que chegará logo mais, às 17h35, no voo da Joon, oriunda de Paris. Ele viajou para a capital francesa, onde foi tentar atrair novas empresas para o Ceará, a fim de aproveitar a facilidade de deslocamento com os novos voos que começam a operar a partir de hoje pela subsidiária da Air France. Ele, a vice-governadora Izolda Cela e o titular da Secretaria do Desenvolvimento Econômico (SDE), César Ribeiro, formaram a comitiva cearense que esteve na França, com o objetivo de prospectar novos negócios para o Estado.

O sucesso da implantação do Hub Nordeste já é uma realidade, tanto que o grupo franco-holandês já afirmou que está sendo analisada a possibilidade de haver, ainda no primeiro semestre de 2019, mais uma frequência semanal, oriunda de Paris, com destino a Fortaleza. Isso ocorreu porque as vendas de passagens aéreas para a capital cearense atingiram, em menos de um ano, praticamente o mesmo volume que a Air France tem para São Paulo, onde a operação já funciona há mais de uma década.

Como os turistas das regiões Norte e Nordeste, principalmente, mas também da Centro-Oeste, estavam ávidos por uma boa opção de conexão de voos para a Europa, o hub em Fortaleza acabou caindo como uma luva. Afinal, entre tempo de voo e de conexão, que sai de Manaus pode ganhar até seis horas ao optar por viajar via Fortaleza, do que ter de descer para Rio de Janeiro ou São Paulo, para depois subir para poder seguir rumo à Europa.

Despesa
Outra questão importante, ao optar pelo Hub Nordeste, que fica, em média, a nove horas e 25 minutos de capital francesa, é que devido a esta proximidade, os custos também são mais baixos, podendo a viagem ficar até 30% mais em conta, do que se o turista tivesse de ir a São Paulo, para depois seguir viagem para a Europa. Isso sem falar que a Joon tem aeronaves novas e altamente conectadas, fazendo com que a viagem possa ser ainda mais agradável, devido às opções de entretenimento a bordo, seja através do sistema da aeronave, ou através do tablete, smartphone ou notebook dom viajante.

Transporte de mercadorias deve chegar a 100 toneladas
A diretora de cargas do Grupo Air France/KLM no Brasil, Renata Branco, disse que os cinco voos semanais que as duas companhias começam a operar, amanhã, terão capacidade para levar até 80 toneladas de cargas diversas para Paris e Amsterdã. E, a partir de outubro, com mais uma operação semanal para a capital francesa, o volume de mercadorias produzidas em solo cearense, a ser transportado pode chegar a 100 toneladas por semana.

Ela disse que o transporte de produtos perecíveis – pescados, frutas e polpas -, será o foco da exportação. “Nossa empresa transporta todo tipo de produto, até cargas vivas e farmacêuticos. Mas já temos um cliente da Austrália que tem uma demanda de 250 toneladas em seis meses. Também temos algo na área de frutas, que terá espaço aqui em Fortaleza. E poderemos atrair outros tipos de cargas, chegando a até 20 toneladas por aeronave”, explicou Renata Branco.


Fonte: O Estado

Compartilhar
Publicidade
Todos os direitos reservados para avol.com.br - no ar desde 2001